Prevenção, diagnóstico e tratamento são tripé dos investimentos no combate ao câncer

Por RM

Postado em 29/11/2019 07:07:07



Paciente oncológica em tratamento na rede pública (Foto: Julyane Galvão)

Mais de 600 mil casos novos de câncer devem ser registrados este ano, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) – aplicado o cálculo global corrigido para o sub-registro, a ocorrência sobe para 640 mil. No Maranhão, iniciativas do Governo do Estado apoiadas no tripé prevenção, diagnóstico e tratamento especializado têm ampliado o combate à doença na capital e no interior do estado.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, nesta quarta-feira (27), Dia Nacional de Combate ao Câncer, alguns avanços podem ser destacados em relação à assistência aos pacientes com câncer.

“O Maranhão mudou. Ampliamos os serviços de combate à doença, pois precisamos evitar que as pessoas adoeçam ou que descubram a doença em estágio avançado. Também aumentamos sobremaneira o acesso ao tratamento ao expandir a rede de assistência, em especial para as cidades de Imperatriz e Caxias. Vamos continuar a expansão da rede, e auxiliar os municípios na execução de serviços de sua competência na atenção básica”, frisou o gestor Carlos Lula.

Tanto na área tecnológica quanto na abordagem médica especializada, as unidades da rede estadual de saúde têm garantido o acesso a tratamento eficaz e humanizado. Em São Luís, o Hospital de Câncer do Maranhão firmou-se como unidade referência em atendimento humanizado e de excelência. Desde 2015, o equipamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES) realizou quase 13 mil internações.

Moradora da Cidade Olímpica, Antônia Maria dos Santos Mendes, de 56 anos, faz tratamento de Mielodisplasia há pouco mais de um ano no hospital. Nesse tempo, acompanhou mudanças e melhorias.

Sorrir é referência estadual para o diagnóstico precoce do câncer de boca (Foto: Márcio Sampaio)

“Aqui todo mundo me atende muito bem, são pessoas maravilhosas. Antes, atendia lá em cima e agora arrumaram a sala [de quimioterapia]. Está tudo arrumadinho, bem organizado, confortável para nós que estamos aqui. Nunca faltou nada, graças a Deus. Fico satisfeita, se não tivesse esse hospital como a gente estaria?”, ressaltou.

Dentre as melhorias na unidade, está a reforma da sala de quimioterapia e do ambulatório; uso de medicamentos de alto custo, que não são financiados pelo Ministério da Saúde; ampliação de ações de humanização envolvendo pacientes, acompanhantes e funcionários.

O Hospital de Câncer do Maranhão ganhou ainda, em 2017, uma Casa de Apoio, voltada para abrigar e acolher pacientes e acompanhantes que moram em outros municípios e fazem tratamento em São Luís. O imóvel conta com área total de 1.630m² e 938m² de área construída, leitos, refeitório, área de vivência, cozinha, banheiros, sala de TV, sala de leitura, sala de estar e área administrativa, com área de repouso para técnicos. O pavimento superior possui três grandes salões. A Casa de Apoio está localizada no bairro Madre Deus.

Além disso, o bunker que abrigará o acelerador linear para radioterapia do hospital está em construção atrás do Centro de Saúde Genésio Rêgo, na Vila Palmeira.

Um dos pontos positivos apontados por pacientes do Hospital de Câncer é a qualificação do corpo médico e multiprofissional. Não à toa, é lá que funciona o primeiro o Programa de Residência Multiprofissional do Maranhão em oncologia, cuja primeira turma iniciou em 2018. Atualmente, são 20 residentes em cinco especialidades Enfermagem, Serviço Social, Farmácia, Psicologia e Nutrição.

A primeira turma, formada por 10 residentes, terá a formatura em 2020. A pós-graduação, na modalidade residência, tem carga horária total de 5.760 horas, divididas em dois anos. O valor da bolsa é de 3.330,43. O programa é autorizado pela Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde do Ministério da Educação (MEC).

Maria Francisca Barbosa de Sousa, de 75 anos e natural de Brejo, luta contra um câncer nas vias biliares. Ela será submetida a uma cirurgia para desobstrução do canal biliar, mas desde a entrada no hospital, no dia 22, já sentiu a diferença no tratamento no lugar. “Estou achando bom, em outros lugares não fazem o que estão fazendo aqui. Estão todos fazendo por mim, estão cuidando de mim. Parecem irmãos meus. Se não tivesse aqui, era ruim demais”, disse.

Sorrir

O reforço das ações de diagnóstico é uma das frentes de trabalho adotadas pelo Governo do Estado. A Unidade de Especialidades Odontológicas do Maranhão – Sorrir, entregue no início de 2018, oferece assistência de média complexidade à população maranhense, atuando também como referência estadual para o diagnóstico precoce do câncer de boca.

O local oferece consultas com estomatologista, que cuida da prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças da boca e estruturas anexas, bem como prevenção de doenças sistêmicas. Casos de menor complexidade não tratados na própria unidade, casos mais complexos são encaminhados para o Hospital de Câncer do Maranhão.

Descentralização

As ações, contudo, não se restringem à capital. Com a entrega da Unidade de Oncologia Pediátrica do Hospital São Rafael, em Imperatriz, em 2017, e a assinatura de um convênio com a clínica Oncoradium, especializada em radioterapia, em 2015, pacientes que necessitam de tratamento oncológico puderam fazê-lo perto de casa.

“A descentralização do serviço de oncologia no Maranhão tem efeitos sem precedentes. Não só conseguimos diminuir o encaminhamento de pacientes para São Luís, como potencializamos o conforto, segurança e a qualidade de vida do paciente, que diminui gastos e pode ter suporte familiar”, avalia o secretário de Saúde.

Serviços da rede da SES promovem ações de detecção e diagnóstico precoce do câncer de mama (Foto: Márcio Sampaio)

A região de Caxias também fez parte dos avanços na área de oncologia com a entrega da Unidade de Oncologia do Hospital Regional Dr. Everaldo Ferreira Aragão, em 2018. Equipado com 10 leitos para oncologia clínica, 12 para cirúrgica e quatro leitos para cuidados paliativos, o serviço tem proporcionado conforto e assistência especializada e humanizada para pacientes de 40 municípios. Existem ainda pactuações com os estados do Piauí e Tocantins para atendimento de pacientes com câncer.

A descentralização dos serviços de oncologia também alcança ações de detecção e diagnóstico. Atualmente, o Maranhão possui 102 mamógrafos em uso, dos quais 39 para exames no Sistema Único de Saúde (SUS). Estes estão distribuídos nas cidades de Bacabal, Balsas, Caxias, Chapadinha, Coelho Neto, Imperatriz, Pinheiro, Porto Franco, Rosário, São Luís, Timon, Tuntum e pactuado com a cidade Floriano (PI).

Apoio a fundações

Ainda na capital, um convênio celebrado com a SES permitiu a aquisição de um acelerador linear para a expansão do serviço de radioterapia do Hospital Aldenora Bello. Está previsto ainda o repasse pela SES de R$ 4,2 milhões em emendas parlamentares à Fundação Antônio Dino, mantenedora do hospital.

“Esse recurso será aplicado na retomada do Serviço de Pronto Atendimento (SPA) e cirurgias de pacientes em tratamento oncológico assistidos na instituição, que é privada e filantrópica. Mesmo não sendo da rede estadual, entendemos a importância do trabalho realizado lá, por isso o recorrente apoio, na forma de emendas de custeio, equipamentos, repasse do Fundo de Combate ao Câncer. É uma causa coletiva”, salienta Carlos Lula.

A Fundação Antonio Brunno, que acolhe pacientes oncológicos em tratamento ou em fase de diagnóstico me São Luís, também recebeu apoio da SES. Em 2018, um termo de fomento voltado para ampliar e melhorar o suporte a esses pacientes repassou R$ 480 mil para a fundação. Um novo termo deve ser liberado em breve.

Saiba mais

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos. Estas células tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, determinando a formação de tumores, que podem espalhar-se para outras regiões do corpo.

Fonte: SECAP



  Deixe seu comentario aqui



  0 comentário:

Nenhum comentário ainda foi registrado. Seja o primeiro a comentar!

Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Últimos Posts