Cleide e Cabeludo abrem guerra de versões sobre tentativa frustrada de aliança

Por RM

Postado em 18/10/2019 08:11:36



 Cleide Coutinho e Fábio Gentil

A deputada estadual Dra Cleide Coutinho (PDT) e o prefeito de Caxias (MA) Fábio Gentil (PRB) abriram o que se pode chamar de “guerra de versões” para explicar a fracassada tentativa de aliança que colocaria num mesmo palanque em 2020 os dois principais grupos da política caxiense. As tratativas para o firmamento de uma composição entre os grupos Coutinho e Gentil de fato existiram e foi confirmada pelos próprios líderes. Porém, o porquê de a pretensão ter naufragado ainda no nascedouro não teria ficado bem explicado, pelo menos da parte do mandatário municipal caxiense.

Esta semana, no entanto, Fábio Gentil afirmou ao blog do jornalista John Cutrim que a união não foi consolidada porque ele não abriu mão de manter o atual vice-prefeito Paulo Marinho Júnior (PP) em sua chapa majoritária – diferente daquilo que pretendiam os Coutinho – emplacar a primeira-dama de Matões, Claudia Coutinho, na vice , segundo o prefeito.

A deputada Cleide, que não manda recado, distribuiu nota por meio de sua Assessoria de Imprensa afirmando que a história não foi essa contada pelo cabeludo. A pedetista afirma que a aliança não foi consolidada por motivos outros – e que o próprio prefeito Fábio Gentil teria dito que não aguentava mais as extorsões de Paulo Marinho, pai do vice-prefeito.

Defecção

Também ontem, o empresário Constantino Castro, o “Tino”, afirmou ao Blog do Jotônio Viana que tentaria viabilizar seu nome por vias próprias e não mais participaria da pesquisa para escolha do candidato coutinhiano – além do nome dele, Tino, também pleiteiam a unção a vereadora Thaís Coutinho, o chefe da Agerp na região, ex-prefeito Júnior Martins, o ex-vereador Lacerda e o empresário Magno Chaves.

Fortaleza

Também para o Jotônio Viana, o quarteto remanescente da corrida pela unção coutinhiana endereçou nota afirmando que “a saída de Tino da corrida interna fortalece o grupo”.

Matemática

Tudo bem que a explicação dos pré-candidatos a pré-candidato do grupo Coutinho não foi formulada com base na matemática. Mas, não custa lembrar, o saudoso Humberto Coutinho  maior líder de Caxias nas últimas três décadas   costumava ensinar que campanha eleitoral se faz com grupo. Perder aliado é sempre ruim.



  Deixe seu comentario aqui



  0 comentário:

Nenhum comentário ainda foi registrado. Seja o primeiro a comentar!

Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Últimos Posts