A continência contraditória e o barulho da contradição

Por RM

Postado em 07/11/2018 09:33:31



 

Bolsonaro presta continência a Sarney

Correu o mundo a imagem do instante em que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) bate continência para o ex-presidente José Sarney (MDB), durante sessão solene do Congresso Nacional pela passagem dos 30 anos de promulgação da Constituição Federal, nesta terça-feira (06). E, como já seria esperado em cenas como aquela, o bafafá foi amazônico. O pessoal da extrema-direita, os chamados ‘bolsominions’, sobretudo, corou num silêncio compungido. O da esquerda fez barulho inquisitorial. 

De fato o capitão exagerou. A continência militar é um gesto que denota extremo respeito. A saudação remonta à Idade Média, quando era usada como um símbolo de deferência aos reis. E era repetido pelos cavaleiros sempre antes de grandes batalhas. Mas era, também, uma forma de demonstrar paz, pois reforçava o fato de que a mão que segurava a espada estava vazia. Depois de um tempo, a continência tornou-se um hábito entre os exércitos, no entanto a simbologia manteve-se inalterada, bem como a liturgia protocolar.

A continência de Bolsonaro não seria nada demais se não tivesse sido dirigida ao ex-presidente Sarney. Não que o grande líder político maranhense não seja merecedor de honrarias, pelo contrário. Sarney merece ser reverenciado em vida – o tempo saberá reconhecer o seu papel na vida pública da nação, reconhecendo sua importância.

A questão é que esse mesmo Sarney, merecedor de reconhecimento pela atuação no processo de redemocratização do País, representa, hoje, a velha política, com tudo aquilo que isto quer dizer. E Bolsonaro foi eleito prometendo romper com as velhas práticas imorais e nocivas que tanto sugaram o Brasil.

Sim, a continência do presidente eleito revelou-se, de fato, contraditória. No entanto, o barulho da esquerda é exagerado e igualmente uma contradição. Não custa lembrar que, tirante os seis anos de seu exercício à frente da Presidência da República, o período em que José Sarney mais deu as cartas no país foi, justamente, aquele que teve Lula da Silva e seus camaradas abancados no Palácio do Planalto.



  Deixe seu comentario aqui



  3 comentários:

Por: antonio maciel

talvez pela idade; pelos tantos cargos importantes; pelo tratamento com.os outros; pela educação do Sarney. e até pq Bolsonaro tb tem aliviado o seu modo de tratar as pessoas. tem muita coisa envolvida naquela continência .



Por: LEÔNICA

"Todo bom condutor de um veículo anda sempre pela direita" Os infratores mesmo conhecendo as normas, pegam a esquerda por ser mais conveniente kķkkkkk Ele demonstrou contradição durante a campanha



Por: Maycon Lopes

Bolsonaro se tornou estadista, apenas se comportou como tal. Como respeito! Pelo amor de Deus, parem de procurar chifre em cabeça de cavalo. Boa sorte a ele!



Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Últimos Posts