‘22 de Julho’ deveria ser visto por todos os brasileiros

Por RM

Postado em 11/10/2018 13:00:47



 

Qualquer que seja o resultado deste segundo turno em disputa, o Brasil continuará dividido. O povo brasileiro deixou-se tragar pela intolerância. Não há debate no campo das ideias. Estamos limitados a agressões estapafúrdicas. Não se respeita a opinião do outro. Parece que nada consegue atenuar o excessivo grau de beligerância entre pessoas que pensam diferente. O resultado é esse barril de pólvora prestes a explodir. Um ódio crescente. Situação complicada de se entender.

Um dos caminhos que podem levar à compreensão daquilo que atualmente ocorre no Brasil é o filme ’22 de Julho’, que aborda os ataques em Oslo, capital da Noruega, e na ilha de Utoya no dia 22 de julho de 2011. O longa rememora um dos ataques terroristas recentes mais chocantes, executados por apenas um homem – um terrorista da extrema direita política, contrário ao multiculturalismo no país, além de opositor à política migratória.

Por vontade própria e agindo sozinho, Anders Behring Breivik – o terrorista – planejou um ataque a bomba no prédio do governo na capital do país, matando oito pessoas, para menos de duas horas depois, atacar um acampamento de verão da ilha de Utoya, matando sessenta e nove pessoas, na maioria adolescentes e jovens que pertenciam a divisão da juventude do Partido Trabalhista na Noruega, representando a esquerda política. 

Acredite, vale a pena ver. A direção de ‘22 de Julho’ é do prestigiado Paul Greengrass – aquele que dirigiu três dos quatro filmes da aclamada série Jason Bourne. Talvez o ato de assistir ao filme não mude sua visão de mundo, mas possa fazê-lo refletir acerca do nosso momento atual. E se isto lhe ocorrer, que ótimo!

  1 Comentários

Fábio Gentil vaselina PM Jr. para aliviar tensão com os Marinho

Por RM

Postado em 11/10/2018 10:22:26



 

Paulinho e Fábio Gentil, apenas um tem levado vantagem

Preocupado com a rebordosa que estaria a caminho, o prefeito de Caxias Fábio Gentil (PRB) procurou seu vice Paulo Marinho Jr., na tarde desta quarta-feira (10), para negar qualquer contribuição sua no indigesto resultado urnístico do aliado. Os Marinho estão uma arara com o Cabeludo. Há quem afirme que somente não houve ainda um rompimento devido interesses do ex-prefeito Paulo Marinho, que não estaria em condições de deixar a órbita palaciana.

Aliás, PM já expôs a azia resultante da contrariedade eleitoral por meio de inúmeras declarações postadas nas redes sociais. Na avaliação do patriarca marinhiano, o filho Paulinho não foi eleito porque foi sacaneado pelo seu principal aliado, no caso o prefeito Fábio Gentil.

Está explícito que o velho PM de guerra ainda não aprendeu a fazer um mea-culpa e avaliar onde continua errando – a catinga dele pega no filho, não tem jeito. Mas é fato que, desta vez, Marinho tem razão. PM Jr. foi, sim, sacaneado – aberta e descaradamente, aliás.

Números

Bom de saliva, o Cabeludo sustenta que não boicotou a candidatura do aliado e apresenta os números de Caxias como suporte de argumentação. Sob este prisma, o mandatário municipal tem razão. O pai dele, deputado estadual eleito Zé Gentil, teve 31.487 votos. PM Jr. recebeu 30.822 – votações muito aproximadas, admitamos.

Porteiras

Entretanto, os deputados federais eleitos, Cléber Verde (PRB) e Edilázio Jr. PSD), jamais teriam a votação que tiveram domingo em Caxias, respectivamente 4.889 e 1.942, sem que Cabeludo tivesse lhes escancarado as porteiras do terreiro eleitoral local.

Estrutura

Cléber Verde e Edilázio Jr. fizeram campanhas usando a estrutura política do Palácio da Cidade – vereadores e lideranças comunitárias cabalaram votos em favor da dupla sem o menor pudor. Isto teria sido possível sem o apoio implícito de Fábio Gentil? Certamente que não.

  1 Comentários

Foto fofoca: A cara da derrota

Por RM

Postado em 11/10/2018 06:58:40



  1 Comentários

Paulo Marinho Jr. estaria próximo de virar deputado federal

Por RM

Postado em 10/10/2018 08:32:05



 

Ex-prefeito Paulo Marinho e vice-prefeito PM Jr.

Candidato a deputado federal nas últimas eleições, o vice-prefeito de Caxias Paulo Marinho Jr. (PP) saiu das urnas sufragado por mais de 55 mil votos, resultado que o coloca na primeira suplência da coligação proporcional que reuniu PDT, PR e PP. Fontes com trânsito nos Leões sustentam que o ex-prefeito de Caxias Paulo Marinho estaria se articulando na esfera próxima ao governador reeleito Flávio Dino (PCdoB) para buscar uma aproximação com o mandatário estadual maranhense. 

De acordo com o que este redator conseguiu apurar, o governador Flávio Dino pode escalar para compor o próximo secretariado estadual algum deputado federal eleito na coligação de PM JR., criando, assim, as condições necessárias para o jovem político caxiense assumir, enfim, o mandato na Câmara Federal.

Na órbita por onde gravitam os aliados em torno do governo comunista há vozes discordantes da possibilidade de o governador receber Paulo Marinho no grupo governista. A relação umbilical de PM com o clã Sarney é histórica e parece enraizada. Do outro lado, no contraponto, estão aqueles que justificam ter a família Marinho pagado, nestas eleições de 2018, qualquer dívida, emocional ou eleitoreira, que por ventura ainda existisse com o grupo Sarney.

2020

Caso se concretize mesmo, a ida dos Marinho para a ambiência comunista deve mexer no quadrado político local com vista às eleições municipais de 2020.

Insatisfação

Não é segredo que a insatisfação de PM com o grupo do prefeito Fábio Gentil (PRB) é real. O pai do vice-prefeito de Caxias não esconde de ninguém que foi abandonado pelos aliados que ele ajudou eleger em 2016.

Voto

Inclusive, fonte correta deste redator garante que, ciente da traição política ao filho, a ex-prefeita Márcia Marinho foi vista no dia da eleição pedindo votos no povoado Nazaré do Bruno para a deputada eleita Cleide Coutinho (PDT). 

Reações

Resta saber como os deputados estaduais eleitos, Cleide Coutinho (PDT) e Adelmo Soares (PCdoB), reagiriam a suposta chegada dos Marinho à seara dinista.

  2 Comentários

Senador eleito Weverton vai ao Ponto e Vírgula; agradece votação histórica, avalia 2º turno e analisa nova conjuntura do Congresso

Por RM

Postado em 09/10/2018 23:34:37



 Senador eleito Weverton  Rocha entre os âncoras do 'Ponto e Vírgula', Minardi e Cutrim

O senador eleito Weverton Rocha (PDT) esteve no ‘Ponto e Vírgula’ desta terça-feira (09) onde agradeceu aos cerca de dois milhões de eleitores maranhenses que no último domingo (07) sufragaram seu nome nas urnas, elegendo-o com a maior votação para o Senado na história do Maranhão. O pedetista também fez deferências ao apoio da classe política e ao empenho da militância de sua candidatura, fatores fundamentais para sua eleição, segundo ele mesmo afirmou. 

O clima da entrevista foi festivo, tanto pela eleição para o Senado como pelo aniversário – Weverton teve os 39 anos completados na segunda-feira (08). Entretanto, o pedetista não tergiversou quando questionado sobre assuntos em pauta na macropolítica nacional.

Weverton concorda que o candidato Fernando Haddad (PT) deve se reposicionar no segundo turno para buscar apoios do centro, sem, obviamente, abrir mão daqueles partidos que são mais identificados, programaticamente, com o PT. Na avaliação do senador eleito, o petista é competitivo, e lembrou que agora o jogo zera e começa uma nova corrida, completamente dissociada daquela que foi o primeiro turno.

Enfrentamento

Quanto à postura a ser adotada pelos senadores e deputados federais que foram eleitos pelos partidos que se identificam com a chamada esquerda do campo progressista, democrático e popular, Weverton avalia que haverá um enfrentamento duro contra a direita, sobretudo porque a extrema direita estará muito presente na próxima legislatura do Congresso Nacional.

Posicionamento

O senador eleito revelou que o PDT terá reunião com todos os membros que estarão na bancada do partido no Congresso Nacional a partir de 2019 para decidir sobre o posicionamento da sigla no segundo turno. O encontro acontecerá na sede  do partido em Brasília (DF), nesta quarta-feira (10), e contará com a presença do presidente nacional Carlos Lupi e do ex-candidato à Presidência da República Ciro Gomes.

O programa 

Gerado pela Difusora FM, a partir de São Luís, o programa ‘Ponto e Vírgula’ é ancorado pelos jornalistas Marcelo Minardi e John Cutrim, com correspondentes ao vivo de Imperatriz, Caxias, Timon e Codó, e vai ao ar para todo o Maranhão através de uma rede de emissoras, com abrangência em 95% das cidades do Estado, de segunda a sexta-feira, das 18h às 19h.

  0 Comentários

Haddad precisa rever retórica de ataque ao Judiciário e às elites e buscar a moderação, se quiser ter chance de bater Bolsonaro no 2º turno

Por RM

Postado em 09/10/2018 15:28:58



 

Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) se enfrentram no 2º turno

Pela cotação de hoje, a candidatura de Fernando Haddad (PT) contra Jair Bolsonaro (PSL) não vai nada bem. Saindo do primeiro turno atrás, com 29,28% contra os 46,03% do capitão, o petista já entra na disputa carregando ainda o peso do desgaste petista e a vitória de um Congresso muito pouco afeito às suas ideias.

Isso significa que é impossível para o candidato reverter o quadro que se lhe apresenta desfavorável? De forma alguma. Segundo turno, como já ficou convencionado dizer, é outra eleição. E nessa nova disputa, é fundamental ajustar o discurso de olho naquilo que ficou de fora na primeira rodada. Aquilo, no caso, toma forma hoje como o terceiro colocado da disputa, Ciro Gomes (PDT).

Não basta um mero aceno ao eleitorado de Ciro, fechado no domingo em 12,47% dos votos. Em tese, até pela proximidade dos discursos, a maior parte dos eleitores do pedetista tendem migrar para o candidato petista naturalmente. Para vencer Bolsonaro, Haddad precisa convencer também eleitores menos radicais de Bolsonaro – sim, eles existem e são bem mais do que muita gente supõe.

Protagonismo

Figura das mais marcantes no 1º turno pelas propostas inusitadas e debate programático, Ciro pode, no centro da coordenação da campanha petista, emprestar a Haddad talvez o que mais faltou na campanha do adversário no 1º turno: Protagonismo. Até agora, o candidato petista não conseguiu passar imagem além de “mensageiro” sob a sombra de Lula e fiel defensor do ninho petista – uma Dilma Rousseff de calça.

PSDB

A situação desagradaria a militância, mas, se planeja bater Bolsonaro, Haddad precisa se afastar do ex-presidente e dos velhos caciques e começar a trilhar caminho próprio rumo ao centro – buscando até FHC e setores democratas do PSDB – o senador Tasso Jereissati talvez seja uma porta para o diálogo com os tucanos. O lulismo, hoje maior que o PT, é bom para fortalecer laços entre convertidos, mas fala muito pouco para os não adeptos.

Moderação

Em síntese, apoio de Lula levou Haddad para o segundo turno, mas não o garante na posse de 1º de janeiro. Se quiser convencer o eleitorado não radicalizado, o petista precisa abandonar a retórica de ataque ao Judiciário e às elites e buscar a moderação. Ciro, que passou o 1º turno inteiro insistindo pelo debate de propostas, precisa estar no centro disso.

  0 Comentários

Pastor maranhense, pai de deputada eleita, cai em esparrela e espalha fake contra Manuela D’Ávila

Por RM

Postado em 09/10/2018 14:09:03



 

O pastor Pedro Aldi Damasceno caiu num esparrela infantil ao se manifestar contrário ao declarado apoio da senadora eleita Eliziane Gama (PPS) ao candidato Fernando Haddad (PT), no segundo turno. Na verdade, a contrariedade do pastor pelo apoio da “irmãzinha” ao petista tem a ver com um ranço nascido contra a vice Manuela D’Ávila (PCdoB) por meio de uma mentira que circulou na internet.

Em mensagem de áudio viralizada nas redes sociais, o líder religioso demonstra irritação por conta de uma foto que ele viu, também nas redes sociais, de Manu vestida num camisa com os dizeres “Jesus é travesti”.

O corre que, se o pastor tivesse checado direitinho a fonte e a “notícia” teria facilmente identificado tratar-se de uma fake News (notícia falsa).

A fotomontagem de Manu com a frase “Jesus é travesti” é falsa. A verdadeira, com a palavra “rebele-se”, foi amplamente divulgada pelos meios idôneos de informação, para desmentir a fake que viralizou na reta final da campanha do primeiro turno.

Pedro Aldi Damasceno é presidente da Convenção Estadual da Igreja Assembleia de Deus no Maranhão. A filha dele, Mical Damasceno, é deputada estadual eleita pelo PTB. Interessante notar que, no primeiro turno, o pastor não fez nenhuma declaração contundente contra a chapa de Lula à Presidência da República. Talvez tivesse medo que o eleitorado maranhense, grato ao petista, rejeitasse sua filha nas urnas. Manifestar-se agora, com essa virulência toda, denota oportunismo barato. Ainda mais embasando-se numa mentira.

  0 Comentários

Foto fofoca: O Pai Dináh do MA

Por RM

Postado em 09/10/2018 11:37:18



  0 Comentários

Caxias sai fortalecida das urnas e volta ao protagonismo político do Maranhão

Por RM

Postado em 09/10/2018 10:08:08



 Cleide Coutinho, Zé Gentil, Adelmo Soares e Rubens Pereira Jr., os representantes de Caxias

O resultado das eleições 2018 no Maranhão fortalece politicamente a cidade de Caxias e região. Pela primeira vez em 24 anos, o município volta a ter mais de um representante na Assembleia Legislativa – a última vez que isto ocorreu foi na legislatura 1991/1994, quando estavam deputados estaduais Humberto Coutinho, Zé Gentil, Getúlio Silva e Alexandre Salém – este último, não era domiciliado em Caxias, é verdade, mas sua relação com a cidade era inegável, inclusive com familiares residindo aqui – como ocorre, hoje, com o deputado federal reeleito Rubens Pereira Jr. (PCdoB), por exemplo. O comunista é domiciliado em Matões, mas sua atuação na Câmara Federal é muito atenciosa à Caxias – e a exemplo de Salém, ele também tem família em Caxias.

O fato é que o caxiense está otimista e de autoestima elevada pelas eleições de Cleide Coutinho (PDT), Zé Gentil (PRB) e Adelmo Soares (PCdoB), para a Assembleia, e reeleição de Rubens Jr, na Câmara dos Deputados, que confirmaram nas urnas aquilo que este redator vinha afirmando desde o início das pré-campanhas. E não foi nenhuma mágica ou exercício de futurologia. Nada disso. Quem se dispusesse a olhar o cenário que se formou para o pleito de 2018, sem paixões ou ranços de ordem pessoal, facilmente enxergaria que o quarteto sairia das urnas vitorioso.

Caxias sai das urnas fortalecida e retorna ao espaço de protagonismo da cena político-partidária, com direito a voz nas grandes decisões do Estado. Assim, o povo daqui, que sentiu faltar terra nos pés pela morte de seu líder maior Humberto Coutinho logo no primeiro dia do ano, vítima de complicações de um câncer no intestino, volta a ter aspirações de um futuro melhor. Vale acreditar!

Em tempo

Somente hoje este redator retorna à labuta do Blog. Desculpe pela ausência de ontem.

  0 Comentários

Ciro continua no páreo e é o que mais cresce, segundo Ibope e Datafolha

Por RM

Postado em 07/10/2018 07:04:55



 

Eleição presidencial fica eletrizante e segue indefinida

A diretora-executiva do Ibope, Márcia Cavallari, e o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, não descartam a possibilidade de o candidato Ciro Gomes (PDT) ir para o segundo turno da eleição presidencial. As avaliações foram feitas na noite deste sábado (06), durante o programa especial “Central das Eleições”, da Globonews.

De acordo com os diretores dos dois institutos de pesquisa de opinião mais populares do país, Ciro foi o único candidato a manter-se numa linha crescente das intenções de voto aferidas na véspera da eleição que será realizada hoje. Ibope e Datafolha identificaram que os votos que estão migrando para o pedetista são oriundos de todos os demais candidatos, porém a sangria seria maior entre os eleitores do candidato Fernando Haddad (PT), que aparece em segundo lugar nas pesquisas.

Com o crescimento de Ciro e a tendência de "virada" dele para cima de Haddad, sobretudo pelos números colhidos no último dia de campanha, segundo informaram Cavallari e Paulino, apesar dos 10 pontos percentuais (15x25) que o separam do segundo colocado, a possibilidade de o pedetista ir para o segundo turno é maior que a de Jair Bolsonaro (PSL), que tem 40% das intenções, ser eleito já no primeiro turno.

Os dois chefes dos institutos ressaltam, porém, que tanto a pesquisa do Ibope como a do Datafolha foram fechadas por volta das 15h de ontem. De lá para cá, o fenômeno de crescimento de Ciro tanto pode ter se mantido, como poder ter aumentado de intensidade ou estagnado.

Vale aguardar.

  1 Comentários

Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Charges

Últimos Posts