Insistência em erro primário gera vexame para Fábio Gentil

Por RM

Postado em 17/05/2018 09:16:08



O badalado concurso público da Prefeitura de Caxias parece lei de Murphy – “se algo pode dar errado, dará”.  E tem dado errado desde o anúncio da entidade contratada para realizar o certame – uma tal de ‘E. F. Pesquisas e Projetos Ltda’, que até a divulgação do nome era uma empresa desconhecida pelas bandas de cá, e que alguns internautas mais curiosos descobriram estaria envolvida em situações, digamos, nebulosas. 

Daí, uma névoa que paira sobre a contratada se espalhou feito rastilho de pólvora nas redes sociais. Pronto, estava desacreditado o concurso prometido em campanha pelo atual mandatário municipal de Caxias. Mas Fábio Gentil (foto) – não se sabe porquê e nem aconselhado por quem – resolveu “bancar” o desgaste e insistir na manutenção da empresa. Tocou em frente, como se diz.

Foi um erro primário do “Cabeludo”, admitamos. O concurso ficou sem a menor credibilidade. Nas redes sociais pululam apostas com nomes de prováveis “aprovados”. Para entornar de vez o caldo, o Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA), por meio de uma medida cautelar, suspende o certame, até o órgão inspecionar a lisura do processo seletivo.

O TCE-MA acolheu representação do Ministério Público. 

Em nota, a Procuradoria Geral do Município minimizou o problema e disse que o concurso está mantido, garantindo, inclusive, que as provas serão normalmente aplicadas nos dias 20 e 27 vindouros, “até ulterior deliberação”.

O fato é que o governo dos Gentil tem patinado feio no campo licitatório, a despeito de o alcaide ter sido vereador por longos 20 anos ininterruptos. A Comissão Central de Licitação da prefeitura de Caxias (CCL) teve exatas 81 licitações anuladas em 2017, por alguma irregularidade qualquer apontada pelo Parquet. O número é absurdamente alto. Dividido, dá quase sete licitações canceladas por mês, ou perto de duas por semana. Então, tem algo errado lá, e quanto a isso não há o que discutir. A atual CCL tem dificuldade até para concluir certames simples, como licitações da merenda ou do transporte escolar – algo básico para qualquer administração pública.

Como diz o poeta baiano, “alguma coisa está fora da ordem”.

  2 Comentários

TCE suspende concurso público em Caxias

Por RM

Postado em 16/05/2018 18:12:30



 

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) decidiu, na sessão do Pleno desta quarta-feira (16) emitir medida cautelar suspendendo concurso público que seria realizado no final deste mês pela prefeitura de Caxias. A medida atende a representação formulada pelo Ministério Público de Contas (MPC), que aponta irregularidades na contratação realizada entre o município e a empresa E. F. Pesquisas e Projetos Ltda., com a finalidade de realização do concurso para provimentos de cargos na administração pública municipal.

Em sua Representação, o MPC aponta a existência de erro na modalidade licitatória utilizada (o Pregão Presencial nº 147/2017) e que a empresa não tem qualificação para a prestação dos serviços contratados, sendo portanto irregular a cobrança de taxas de inscrição.

Com a medida, o concurso fica suspenso até que seja realizada inspeção para verificar a lisura do processo seletivo, ficando proibida qualquer iniciativa referente ao concurso até a decisão do mérito. A inspeção será realizada pela Unidade Técnica do TCE a quem compete o exame dos atos de pessoal.

Após a inspeção, será determinada a citação do prefeito do município, Fábio José Gentil Pereira Rosa e de representante da empresa E. F. Pesquisas e Projetos Ltda. para, caso julguem conveniente, apresentarem suas alegações de defesa.

Fonte: Ascom do TCE-MA

  4 Comentários

Caxias deverá ter uma eleição de deputado federal atípica

Por admin

Postado em 16/05/2018 08:47:58



Rubens Pereira Jr. caminha para reeleição tranquila; Paulo Marinho Jr. dificilmente vai eleito

A eleição para deputado federal em Caxias será um páreo duro como nunca se viu na história do município. Para começo de conversa, porque pela primeira vez os eleitores poderão escolher um nome de um leque de candidatos com forte influência sobre o eleitorado local. É óbvio que a disputa estará concentrada entre Rubens Pereira Jr. (PCdoB) – que vem respaldado pela grande atuação parlamentar na Câmara dos Deputados e com o apoio da pré-candidata a deputada estadual Cleide Coutinho, devendo ser reeleito entre os mais votados do Maranhão – e Paulo Marinho Jr. (PP) – que a despeito do que representa o sobrenome que carrega deve ser bem votado em Caxias, embora dificilmente seja eleito. 

Em Caxias a disputa deve mesmo ser polarizada entre os dois, mas diferente daquilo que aconteceu nas eleições de 2014, este ano há fatores novos que devem ser levados em conta, pois podem alterar o desempenho tanto de Rubens Jr como de Marinho Jr. Exemplo disso são os pré-candidatos César Sabá (PSL) e Magno Chaves (Solidariedade), que podem surpreender - não é exagero dizer que a soma dos dois pode resultar algo em torno de 10 mil votos. Basta lembrar que o candidato Feliciano do Bombom abocanhou, sozinho, mais de 3 mil votos na eleição de deputado federal de 2014.

CÉSAR SABÁ

 

Empresário arrojado do setor farmacista, o pré-candidato a deputado federal César Sabá (foto), que também é radialista, pode surpreender com uma boa votação por ser um nome conhecido em Caxias e identificado com as questões sociais da cidade. Até outro dia, Sabá apresentava um programa semanal de muita audiência na Rádio Sinal Verde FM – o ‘Hora da Verdade’ - onde batia duro na gestão Fábio Gentil, mostrando as mazelas por ele e ouvintes identificadas. 

MAGNO CHAVES

Magno_Chaves 

O também pré-candidato a deputado federal Magno Chaves (foto), apesar de ainda jovem, é um destacado empresário do setor agropecuário que se relaciona bem com os setores mais conservadores do comércio local. Magno é filho do empresário Airton Chaves, portanto de família tradicional de Caxias, primo, inclusive, do ex-vereador e atual secretário-adjunto estadual de Articulação Política Ronaldo Chaves.

2020 -  Há quem diga que os dois neófitos estariam de olho mesmo numa vaga na Câmara Municipal de Caxias em 2020 – as eventuais candidaturas a deputado federal seriam, para ambos, uma maneira de pavimentar o caminho para a vereança na próxima legislatura municipal. Tanto Sabá como Chaves, no entanto, sustentam que estão na luta para se elegerem deputados federais. 

VERDE E JEFFERSON

 

Cléber Verde deve ser reeleito com facilidade; Ney Jefferson pode ser bem votado em Caxias

E não se pode deixar de levar em conta, na eleição de deputado federal em Caxias, as candidaturas de Cléber Verde (PRB) – que vem com o apoio implícito do prefeito Fábio Gentil e da maioria dos vereadores -, bem como a de Ney Jefferson (PT) – ex-secretário municipal da Agricultura e nome muito identificado com o lulapetismo.

  1 Comentários

Caxias poderá ter dois, e não um, candidatos a suplente de senador

Por admin

Postado em 15/05/2018 10:46:10



O ex-governador José Reinaldo Tavares não é o único pré-candidato ao Senado que quer um nome de Caxias para sua primeira suplência. O Pastor Bel – pré-candidato a senador pelo PSDC, na chapa que deverá ser encabeçada pela pré-candidata ao governo Maura Jorge (Podemos), já bateu martelo: Antonio José Luz, pastor da Assembleia de Deus – hoje dirigente da congregação do povoado Buriti Corrente –, residente em Caxias e conhecido empresário do setor ótico na região. O anúncio oficial, inclusive, já tem data e hora marcadas para acontecer: nesta sexta-feira (18) às 14h30, na Assembleia Legislativa do Maranhão, na capital São Luís.

Depois que o Blog adiantou que a primeira suplência do pré-candidato ao Senado José Reinaldo Tavares poderá ser ocupada por um nome de Caxias, pipocaram as especulações acerca de quem seria o ungido. Na blogosfera ganha corpo o nome do ex-secretário municipal de Articulação Política, Catulé Jr., que mesmo renunciando à pré-candidatura de deputado estadual não retornou ao influente e estratégico cargo que exercia no governo Fábio Gentil, o que faz de Catulézinho um nome apto para encarar a disputa, caso seja mesmo o escolhido.

Seguramente, Pastor Bel não tem em Caxias a mesma densidade eleitoral de Zé Reinaldo. Dos pré-candidatos ao Senado colocados até o momento, o ex-governador é o que melhor se identifica com a terra gonçalvina e região, pelos fatores já discorridos neste espaço por este redator. Mas é fato que, ao escolher um nome influente nos setores evangélico e comercial da cidade, Pastor Bel dá uma sacada de mestre para crescer pelas bandas de cá. Quem deve perder com a entrada do Pastor Antonio José é a também pré-candidata Elisiane Gama, pouco conhecida entre os sabiás que por aqui gorjeiam.

  0 Comentários

Flávio Dino e a tentação da serpente

Por admin

Postado em 14/05/2018 09:13:24



Um conhecido bandoleiro da Região dos Cocais tentou seduzir o governador Flávio Dino com uma proposta indigna, forjada nas práticas sombrias que por muito tempo predominaram nas relações político-eleitorais do Maranhão – modo execrável que persiste por meio de figuras que não se dão o menor respeito. Um torpedo chegou até o mandatário estadual maranhense com a indecorosa proposta de “trocar” o apoio do bandoleiro por R$ 3 milhões e mais quatro prefeituras para “inflar” a candidatura do primogênito que caminha para mais um naufrágio eleitoral. 

O bandoleiro recebeu de volta um sonoro não. O governador devolveu que não faz política dessa forma – trocar apoio por dinheiro. O tempo passou, o Maranhão mudou, mas parece que algumas figuras continuam apegadas a velhos vícios – de quando serviam de tentáculos para o atraso.

E é incrível como todo corrupto pensa que todo mundo é igual a ele. 

Banido da cena pública por inúmeras condenações criminais – a maioria por corrupção -, há tempos o bandoleiro em questão tenta emplacar o primogênito num mandato qualquer. Parece que não sabe fazer outra coisa na vida senão viver às expensas dos cofres públicos. Agora que a turma que sempre lhe deu asas perdeu força, a boa vida degringolou. Sem credibilidade, tenta se achegar ao governador que mais tem se destacado positivamente no país, segundo a grande imprensa nacional, e caminha tranquilo para a reeleição.

Não se chega até o coração de Flávio Dino com propostas indecorosas, as velhas práticas foram sepultadas. Não atentar-se para nesse fato, que é público e notório, é um crasso erro de leitura da nova realidade na ambiência do Palácio dos Leões. O Maranhão mudou e só não enxerga quem não quer.

  0 Comentários

Zé Reinaldo quer anunciar nome de suplente em Caxias

Por admin

Postado em 13/05/2018 11:37:07



Eu e o pré-candidato ao Senado Zé Reinaldo Tavares, ele sempre muito simpático e solícito

É grande a expectativa do eleitorado maranhense para saber o nome de Caxias que vai ocupar a 1ª suplência de José Reinaldo Tavares na eleição de senador do próximo mês de outubro – conforme anunciado aqui neste sábado (12) – veja aqui. O Blog recebeu dezenas de mensagens e e-mails de pessoas que tiveram a curiosidade despertada e querem saber quem é esse político caxiense que será ungido para ser suplente pelo próprio pré-candidato a senador. Natural que seja assim, Zé Reinaldo é um nome de muita densidade eleitoral em todo o estado e um dos pré-candidatos ao Senado de maior potencial – vai brigar por uma das duas vagas, pois é considerado um dos mais fortes concorrentes.

Este redator não está autorizado a revelar o nome do suplente, que deve ser anunciado breve pelo próprio Zé Reinaldo – daí porque o Blog se limita dizer tratar-se de “um nome da nova política de Caxias”. Mas é fato que o convite foi feito e prontamente aceito, faltando apenas definir a data para o anúncio oficial – o que deverá acontecer, aliás, em Caxias, durante uma visita de ZR que pretende, inclusive, conversar com os líderes das principais forças da política local.

A repercussão mais do que positiva do fato também corrobora com a avaliação deste redator de que, dentre os pré-candidatos ao Senado até agora colocados, Zé Reinaldo é o que melhor se identifica com Caxias e região.

  0 Comentários

1º suplente de Zé Reinaldo poderá sair de Caxias

Por admin

Postado em 12/05/2018 13:48:20



Dentre os candidatos ao Senado, o ex-governador José Reinaldo Tavares deverá receber a maior votação em Caxias. Por enes motivos. Foi ele o governador que abriu os caminhos que levaram o Estado à renovação política que castrou a hegemonia dos Sarney de quase 50 anos no Maranhão. Sem a ousadia de Zé Reinaldo, dificilmente Jackson Lago teria virado governador. Flávio Dino também não. Humberto Coutinho não teria sido o melhor prefeito da história de Caxias. A cidade não teria os cursos de medicina e enfermagem da Uema... E por aí vai. 

O caxiense de boa memória, conhecedor da história recente de Caxias e do Maranhão, se quiser, pode votar em Zé Reinaldo para senador apenas por gratidão que já estaria fazendo justiça. Sem nenhuma pretensão de diminuir os demais candidatos ao Senado – colocados nessa fase de pré-campanha -, mas José Reinaldo Tavares é o que melhor se identifica com Caxias.

E essa identificação tende crescer mais ainda. Uma fonte bem situada revelou a este redator que Zé Reinaldo teria convidado um nome da nova política de Caxias para compor a 1ª suplência na eleição de outubro vindouro. Não é a primeira vez que ZR sinaliza o desejo de ter um suplente saído da terra gonçalvina. Ainda antes de deixar a órbita em torno do governador Flávio Dino, o pré-candidato já havia demonstrado interesse em ter um caxiense em sua chapa – chegou, inclusive, a formalizar convite a ex-deputada estadual Cleide Coutinho, que na época recusou, ainda que bastante lisonjeada.

Assim, caso concretize a 1ª suplência como acima anunciado, Zé Reinaldo terá dado o passo mais incisivo, até aqui, dentre os candidatos a uma das duas vagas para o Senado, em Caxias e região. É esperar para ver.

  0 Comentários

A saúde de Caxias exposta nas redes sociais

Por admin

Postado em 11/05/2018 09:58:56



Nas redes sociais pululam reclames de usuários do SUS que desabafam contra a má qualidade da saúde de Caxias - como este, “printado” aí acima, onde uma usuária diz ter passado a noite em maus lençóis na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), para onde levou sua genitora, que quase morre por negligência médica, conforme o relato.

Há mesmo muito o que reclamar da saúde pública de Caxias. E o problema não está restrito a UPA. Parece generalizado. Nos postos de saúde e nos hospitais do Município faltam médicos, aparelhos essenciais e remédios – básicos, inclusive. As ambulâncias das UBS’s e mesmo aquelas do SAMU, apresentam os efeitos da falta de manutenção. E falta, sobretudo, atendimento humanizado. Desnecessário dizer quem sofre os efeitos da precariedade geral.

É uma pena que esteja assim. E não somente a saúde de Caxias, a bem da verdade. O quadro é o mesmo em todas as cidades, sem exceção. O SUS é um instrumento fantástico, concebido pela Constituição de 1988 com o objetivo de universalizar o serviço de saúde no país – uma espécie de plano de saúde “gratuito”. Gratuito entre aspas porque há muito dinheiro envolvido no sistema – dinheiro que sai do bolso dos contribuintes e que, infelizmente, tem grande parte sugada pelo ralo da corrupção ou ineficiência de gestão administrativa. Fora o fato de o modelo que concebeu o SUS revelar-se, hoje, equivocado. O Brasil optou pelo sistema mais caro, cuidando da pessoa depois que ela adquire uma doença grave, descuidando-se da atenção primária – que previne contra a doença.

O SUS não é de todo ruim. O sistema brasileiro é reconhecido mundialmente de alta qualidade, naquilo que diz respeito a tratamentos do HIV, da esclerose múltipla ou mesmo da hepatite C. Nestes casos, os pacientes recebem gratuitamente medicamentos que não teriam nos planos de saúde privados. Além disso, o SUS oferece – também gratuitamente - centenas de medicamentos para doenças crônicas – algo que não se vê nem na França.

Entretanto, a mesma qualidade inexiste na área da oncologia, por exemplo, e outros procedimentos complexos. Fora a crônica dificuldade em conseguir atendimento nos hospitais e ambulatórios; em marcar consulta com médicos especializados; longo tempo de espera para cirurgias... E por aí vai.

Para se livrar do encargo, o governo federal agora quer empurrar as pessoas para os planos de saúde privados – chamados de “populares” - conforme proposta enviada pelo Ministério da Saúde à Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS). Bandeira já desfraldada pelo lobby dos conselhos de medicina e grandes operadoras – em entrevista ao UOL, o presidente da Unimed do Brasil, Orestes Pulin, foi apocalíptico: “o setor público não tem como sustentar um sistema de saúde para todos os cidadãos”. Mais conveniente impossível! 

Vale lembrar que, na prática, esse modelo de planos e clínicas privadas “populares” já existe. As pessoas pobres são obrigadas a gastar o que não podem para ter um atendimento médico decente, que deveria, obrigatoriamente, ser oferecido pelo SUS, conforme expressado na Constituição. 

O problema, portanto, é complexo.  Porém, esse entendimento, embora real, não deve servir de escusa para as prefeituras. E nem os usuários do sistema devem deixar de cobrar dos prefeitos e suas equipes mais qualidade no serviço, afinal, para isso eles foram eleitos e empossados – a responsabilidade final é, sim, do gestor municipal.

  3 Comentários

Turnê do musical João do Vale inicia essa semana em Caxias

Por admin

Postado em 10/05/2018 17:32:54



Estreia neste sábado (12) a Turnê "De Teresina a São Luís" do musical João do Vale, O Gênio Improvável, produzido pelo Teatro Arthur Azevedo com o apoio do Governo do Maranhão por meio da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo. A primeira parada é na cidade de Caxias, onde a apresentação gratuita será realizada em frente ao Centro de Cultura da cidade, rua São Pedro, 133, às 20h. 

Após a apresentação em Caxias o espetáculo seguirá para Codó, no dia 19 de maio, Coroatá, no dia 26 de maio, São Luís, nos dias 01,02 e 03 de junho, Teresina, no dia 16 de junho, e por fim, em Pedreiras, terra de João do Vale, no dia 23 de junho.

"Oportunizar a apresentação de espetáculos com tanta qualidade como o musical João do Vale em municípios maranhenses é uma das metas da política de descentralização cultural do Governo do Maranhão. Neste caso, em especial, além de levarmos o teatro, estamos levando esse grande artista maranhense que é João do Vale. Não poderia ser melhor", destacou o secretário de estado da Cultura e Turismo, Diego Galdino. 

O ESPETÁCULO

Idealizado e produzido por Celso Brandão, diretor do Teatro Arthur Azevedo, o espetáculo João do Vale, O Gênio Improvável, foi sucesso de bilheteria e aprovado pela crítica durante suas duas temporadas realizadas em dezembro na capital maranhense. 

O processo de inscrição, seleção de elenco e ensaios durou aproximadamente um ano. O elenco é composto por: Vicente Melo (João do Vale), Tiago Andrade (Zé Keti), Nicole Meireles (Nara Leão), Millena Mendonça (Domingas), James Pierre (Zé Gonzaga), Juliana Cutrim (Dorinha), Marconi Rezende (Chico Buarque) e Victor Silper (Luiz Vieira). A direção geral é assinada pelo carioca Vinicius Arneiro e a direção musical é de Luiz Jr. 

O musical passeia pela trajetória artística do maranhense do século XX, João do Vale, abordando sua saída do Maranhão até o ápice do sucesso. É caracterizado pela linguagem coloquial do caboclo nordestino, expressando sutilmente a riqueza da cultura nordestina e maranhense.

Para mais informações sobre as apresentações acesse o site do teatro Arthur Azevedo (cultura.ma.gov.br/taa) e nossas redes sociais.

Fonte: Ascom/Sectur

  0 Comentários

O Blog é independente

Por admin

Postado em 10/05/2018 10:34:22



A título de compreensão acerca da linha editorial deste Blog, é de bom tom esclarecer que este espaço não é bancado ou financiado por político nenhum, com ou sem mandato, do Maranhão ou de qualquer outra parte do Brasil ou do mundo. Portanto, por tratar-se de um espaço independente, o redator está livre para expor sua opinião, ainda que um ou outro artigo alegre ou contrarie alguma corrente de pensamento – o que é normal no jornalismo. As assertivas aqui expostas refletem tão-somente a opinião do escriba, e, eventualmente, podem contrariar uma ou outra figura ou corrente ideológica. Foi para isto que o espaço foi criado, para ser independente. Até por questão de ética, pois, como ensina o repórter Caco Barcellos (TV Globo), “jornalista que quer dizer o que pensa, publica um livro e banca a impressão do próprio bolso”.      

A introdução se faz necessária para que os mais românticos, que não compreenderam direito ou não digeriram bem a opinião deste redator, publicada ontem (09), aqui no Blog, que trata da proposta do governador Flávio Dino (PCdoB) que sugeriu às siglas de esquerda a retirada de suas pré-candidaturas em favor de Ciro Gomes (PDT), já em 1º turno, como forma de fortalecer o campo ideológico e estancar o crescimento da direita – embalada, em parte, pela inércia da esquerda capitaneada pelo lulopetismo.

Então, os leitores do Blog não devem imaginar que o que vai postado aqui vise agradar ou desagradar quem quer que seja. É opinião livre, pura e simplesmente. E não se faz opinião livre partindo de primícias como essas, de agradar ou desagradar pessoas ou setores. 

  2 Comentários

Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Charges

Últimos Posts