Apolônio Alencar recebe Cidadania Maranhense em concorrida sessão solene na Alema e faz discurso emocionado

Por RM

Postado em 12/07/2018 09:19:36



 

Em concorrida sessão especial realizada na manhã desta quarta-feira (11) na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão (Alema), o empresário Antônio Apolônio de Alencar foi condecorado com o Título Honorário de Cidadão Maranhense, outorgado pelo Poder Legislativo após aprovação, por unanimidade, de projeto de lei de autoria do deputado Rigo Teles (PV).

Realizada logo em seguida à sessão ordinária do Plenário da Assembleia Legislativa que aprovou o Projeto de Lei 086/18, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre as regras para elaboração da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019, a sessão solene foi presidida pelo proponente da honraria, deputado Rigo Teles, que durante o seu discurso de apresentação do homenageado, na tribuna, foi substituído na condução dos trabalhos da Mesa pelo colega deputado Glalbert Cutrim (PDT).

O governador Flávio Dino (PCdoB) esteve representado pelo secretário da Casa Civil, Rodrigo Lago. Além dos deputados estaduais que se encontravam no Palácio Manoel Bequimão, participaram da solenidade vários convidados, dentre eles a pré-candidata a deputada estadual Cleide Coutinho (PDT), o deputado federal e pré-candidato ao Senado José Reinaldo Tavares (PSDB), o prefeito de Matões Ferdinando Coutinho (PSB), o ex-prefeito de São José de Ribamar e pré-candidato a deputado federal Gil Cutrim (PDT), a ex-prefeita de Matões Suely Pereira (PSB) e o marido, ex-deputado e prefeito de Matões Rubens Pereira, o “Rubão”, também coordenador regional da pré-campanha do governador Flávio Dino, a ex-prefeita de Aldeias Altas Fernanda Bacelar (PSB), o ex-secretário estadual de Articulação Política e pré-candidato a deputado federal Márcio Jerry (PCdoB), o ex-secretário estadual da Agricultura Familiar e pré-candidato a deputado estadual Adelmo Soares (PCdoB), os vereadores de Caxias Thaís Coutinho (PSB) e Mário Assunção, o ex-secretário municipal de Governo e pré-candidato à suplência de senador Catulé Jr., familiares e amigos do mais novo Cidadão Maranhense.

Impedidos de comparecer, devido as importantes votações desta quarta-feira na Câmara, os deputados federais Rubens Pereira Jr. (PCdoB) e Weverton (PDT) – este último pré-candidato ao Senado -  enviaram mensagens de felicitações. 

Apolônio Alencar fez um discurso carregado de emoção. Agradeceu a Cidadania Maranhense, e contou de quando chegou ao Maranhão, relatando algumas passagens desse tempo de vida em Caxias, aonde chegou em 1972, e emocionou-se ao lembrar do amigo Humberto Coutinho, falecido no início deste ano.

Recepção no Two Towers Residence

Após a entrega da honraria na Alema, os convidados de Apolônio Alencar participaram de um requintado almoço oferecido pela amiga Cleide Coutinho no espaço de festas do luxuoso Two Towers Residence. Quem foi visto circulando por lá com muita leveza e desenvoltura foi o deputado e pré-candidato ao Senado Alexandre Almeida (PSDB), que conversou demoradamente em várias mesas.

Confira a íntegra do discurso de Apolônio Alencar

Senhor presidente,

Senhoras e senhores deputados,

Senhoras e senhores aqui presentes. 

Impossível vir aqui, nesta casa, e não fazer uma deferência à memória de meu amigo Humberto Coutinho, o maior líder que eu conheci e tive a honra de conviver. Este sentimento a Humberto será eterno e transcende para a amizade e respeito que tenho pela doutora Cleide Coutinho. 

Este, sem dúvida, é um dos momentos que ficarão eternizados em minha mente e no meu coração. Recebo esta honraria ora me concedida por esta augusta casa com muita honra e alegria. Não sei como agradecer a vossas excelências. Minha gratidão é do tamanho do mundo e será eterna. Ainda mais feliz porque a iniciativa deste Título de Cidadania Maranhense que ora recebo partiu de meu primo, deputado decano desta casa, Rigo Teles, por quem tenho grande apreço. 

Neste momento passa na minha cabeça o filme da minha vida. De quando, por vontade própria, escolhi viver o restante dos meus dias no Maranhão. 

Eu chequei em Caxias no dia 15 de novembro de 1972.  Quem me incentivou a vir para o Maranhão foi o meu estimado amigo e conterrâneo Zuquinha, que até hoje mora aqui em São Luís e neste momento me honra e alegra o meu coração com sua presença nesta solenidade. 

A princípio eu deveria ter vindo direto para São Luís. Mas numa parada do ônibus em Caxias, eu desci e me apaixonei pela cidade. Foi amor à primeira vista. Zuquinha compreendeu aquele momento e apoiou minha decisão de ficar em Caxias.

Era para eu ter ficado em Caxias apenas um dia. Estou até hoje. E lá se vão 46 anos. 

No início foi difícil. Comecei a vida de comerciante vendendo rede de porta em porta. Depois as coisas foram melhorando e eu pude trazer minha mulher Lourdes e meus dois filhos nascidos em Pio IX, minha cidade natal, no Piauí, Ireneide e Ironaldo. Em Caxias nasceram Vavá e Ismênia. Os quatro me deram 10 lindos e amados netos. Nossa família cresceu!

Nada disso eu teria conseguido sozinho. Minha companheira Lourdes, que naquela época era só uma menina, foi fundamental em nossa jornada. Quando deixei o Pio IX para vir para o Maranhão, minha filha mais velha, Ireneide, tinha só 1 ano e 5 meses. Ironaldo, esse homem formidável que vocês conhecem, tinha 1 mês e 8 dias de nascido. 

Vejam só que companheira essa que Deus me deu. Uma mulher, menina ainda, na época 18 anos apenas, com uma criança e um recém-nascido. Sei que não foi fácil para ela também. Se hoje em dia essa situação ainda seria difícil, imaginem naquele tempo, no interior do Piauí. 

Estamos casados há 48 anos. Sou grato a deus por isto!

Não esqueci os amigos que deixei em minha terra natal. Os que ainda estão vivos, continuam meus amigos. Em Caxias e no Maranhão eu construí novas amizades. E foram muitas, graças a Deus!  

Na década de 80 recebi o título de cidadão caxiense, honraria da Câmara Municipal, proposta pelo meu amigo, então vereador, saudoso Hollanda.

Ingressei na Maçonaria. Fui venerável da Loja Duque de Caxias e Delegado Regional do Grão-Mestre do Maranhão. 

Também sou Rotariano. E tive a honra de ter presidido a Associação dos Criadores de Caxias e o CDL, entidade da qual eu era vice-presidente e fui chamado para assumir a Presidência devido ao afastamento de meu saudoso amigo Guilherme Bezerra, para que ele pudesse concorrer à eleição de prefeito de Caxias.

Meus defeitos são meus. Minhas virtudes são heranças de meus pais, Pai Lônio e mãe Chiquinha, como até hoje os chamam meus filhos e netos.

Sei que os meus filhos, graças a Deus, somente herdaram de mim as virtudes que herdei de meus pais. 

O que sei fazer de melhor na vida é cultivar amizades. Quem conhece os meus filhos sabe que eles são excelentes cultivadores de amizades. Isto muito me orgulha.

Tudo o que tenho e tudo aquilo que vivi agradeço a Deus, à minha família e aos amigos que a vida me deu. 

Muito obrigado!!!

Deus abençoe o Maranhão!!!

  0 Comentários

Raiz do atraso do Maranhão está perpetuada pela representação no Senado

Por RM

Postado em 11/07/2018 09:43:05



 

Uma postagem do senador Tasso Jereissati (PSDB/CE), publicada em sua conta do Instagram, nesta terça-feira (10) – veja acima –, expôs a diferença amazônica entre a atuação dele e a dos três senadores que representam o Maranhão no Congresso Nacional. TJ comemorou a liberação de R$ 270 milhões na CAE – a poderosa Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, da qual ele é presidente –, em forma de empréstimo, para financiar o Profisco II – Programa de Modernização da Gestão Fiscal do Estado do Ceará.

Enquanto o político cearense dá o exemplo do grande homem público que é e mostra a força de um mandato senatorial em favor do seu estado, independentemente da sua relação com o governador – Tasso é oposição a Camilo Santana, atual mandatário do Ceará –, os três senadores do Maranhão insistem na velha política, com suas atuações voltadas exclusivamente para barrar iniciativas que possam trazer benefícios para o Estado. Quando muito, os senadores maranhenses somente se movimentam ao enxergarem alguma possibilidade qualquer de autopromoção. Uma lástima!

O Maranhão tem conseguido avançar em alguns pontos que integram o conjunto de mazelas históricas que explicam o atraso socioeconômico do Estado. A falta de uma representação no Senado voltada para os verdadeiros anseios e interesses de seu povo é uma anomalia que precisa ser superada.

  0 Comentários

Alema entrega Cidadania Maranhense para Apolônio nesta quarta (11)

Por RM

Postado em 10/07/2018 06:58:55



 

Apolônio Alencar e uma de suas grandes paixões, a produção de matrizes e reprodutores de ovelhas Dorper

O empresário Antônio Apolônio de Alencar vai receber nesta quarta-feira, dia 11, durante sessão especial da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão (Alema), o Título Honorário de Cidadão Maranhense. A honraria foi proposta pelo deputado Rigo Teles (PV), que é o decano da Casa, e aprovada por unanimidade no dia 20 do mês passado.

Apolônio Alencar nasceu em Pio IX (PI) e chegou em Caxias (MA) em dezembro de 1972. Arrojado, começou a vida comercial vendendo rede de porta em porta para depois virar um empresário de sucesso, bastante conhecido na região onde atua nos setores industrial (Shopping dos Vidros) e agropecuário (Fazenda Flechas).

Já na década de 80 Apolônio foi agraciado pela Câmara de Vereadores com o Título de Cidadão Caxiense, proposto pelo saudoso vereador Holanda. Ingressou na Maçonaria – tendo sido venerável da Loja Duque de Caxias e delegado regional do Grão-Mestre do Maranhão. No mesmo período também ingressou no Rotary Club. Nos anos 90 foi eleito presidente da Associação de Criadores de Caxias e vice-presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), tendo exercido a Presidência em substituição ao saudoso Guilherme Bezerra, que se afastou do cargo para concorrer à eleição de prefeito de Caxias.

Pai do ex-vereador Ironaldo Alencar – que foi cinco vezes presidente da Câmara Municipal de Caxias e hoje é articulador regional da campanha de reeleição do governador Flávio Dino –, Apolônio foi várias vezes convidado para concorrer em eleições majoritárias municipais de Caxias, fosse como candidato a prefeito ou vice, porém sempre declinou dos convites, apesar de nunca esconder o lisonjeio pela honraria dos convites.

Ainda assim, participou ativamente de todas os pleitos estaduais e municipais das últimas quatro décadas, tendo sido um parceiro de primeiro momento do saudoso Humberto Coutinho, com quem manteve um laço de amizade muito forte até o passamento do grande líder político, em janeiro deste ano.

  0 Comentários

Prende e solta de Lula ridiculariza o Brasil e expõe anomalia na forma de como os cargos de ministros e desembargadores são preenchidos no País

Por RM

Postado em 09/07/2018 10:34:29



O Brasil viveu neste domingo (08) mais um daqueles episódios nebulosos que, seguramente, ficará marcado para sempre na sua história. O prende e solta do ex-presidente Lula que se assistiu ontem não tem precedente em nenhuma democracia séria do mundo. Independentemente do desfecho, o resultado final será nocivo para a sociedade brasileira. Ficou mais do que evidenciado que há um racha no judiciário, motivado, não por discrepâncias de entendimentos e conceitos jurisprudenciais antagônicos, mas, sim, pelo embalo apaixonado e desarrazoado da ideologia político-partidária. Quando juízes se perdem no excesso das paixões ideológicas e se permitem deixarem-se contaminar em suas decisões, acreditem, é o fim da picada. 

Está claro que armou-se uma chicana para tirar Lula da Silva da cadeia. E que o desembargador plantonista do TRF-4 deixou-se usar como instrumento dessa artimanha insana e despudorada. Não competia aquele desembargador a prerrogativa de avaliar, durante plantão, matéria já pacificada por decisão em colegiado. Como também não caberia a um juiz de primeiro grau descumprir uma medida proferida por um membro de segundo grau – ainda que esta estivesse em evidente desconformidade com as normas. A instância para revogá-la seria outra. 

Restou evidente que a chicana fora armada pelo PT. Um pedido daquela proporção, impetrado convenientemente durante um plantão, expõe o grau de assaque pretendido contra as instituições do País. Rogério Favreto, o tal desembargador que encontrava-se no plantão do TRF-4, emitiu ontem não uma, mas três decisões mandando soltar Lula. Na primeira determinou a soltura em até 24h; na segunda e terceira, em até uma hora, no máximo, “sob pena de incorrer em crime de descumprimento de ordem judicial. 

Favreto foi filiado ao PT entre 1991 e 2010. No entanto, o fato de o desembargador trapalhão ter sido filiado ao PT, na avaliação deste redator, não seria problema nenhum. Se for para excluir juízes que um dia foram filiados a partidos políticos, restariam poucos e o judiciário estaria inviabilizado. 

O problema é que Favreto foi indicado desembargador no TRF-4 pela ex-presidente Dilma Rousseff em 2011 – sem jamais ter sido juiz, entrou como representante da OAB numa vaga preenchida pela regra do quinto constitucional. O mal do nosso judiciário está nas nomeações para tribunais regionais e cortes superiores, onde os membros são nomeados pelos políticos no exercício do mandato. Está errado! 

O correto seria que desembargadores e ministros de tribunais fossem nomeados por meio de concursos. Para o cargo de desembargador, somente juízes togados e concursados poderiam disputar. A escolha de ministro – qualquer que fosse a corte – também deveria ser por meio de concurso, e, neste caso, somente apenas entre desembargadores. Parece complicado, mas é bem simples. 

O fato de ministros e desembargadores serem nomeados pela meritocracia não será, de forma alguma, garantia de lisura e nem vai impedir que um ou outro togado “mije fora do penico” ou dê alguma escorregadela ética. Mas é certo que não se terá esse grau de suspeição ora vigente sobre as decisões judiciárias, sobretudo aquelas emanadas de cima. Pelo menos não com esse grau amazônico de desconfiança generalizada. Enquanto permanecer esse modelo atual de nomeações por conveniências político-partidárias, sempre haverá desconfiança de nociva influência política operando no submundo das cortes.

  2 Comentários

Chico Leitoa no #SQN

Por RM

Postado em 08/07/2018 09:55:21



 

Atendendo convite deste redator, o ex-prefeito de Timon, Chico Leitoa (PDT), esteve no #SQN – o nosso encontro de todos os sábados a partir do meio-dia pelas ondas da Rádio Sinal Verde FM 103,3Mhz (Caxias), em cadeia de transmissão com a Celestial FM 100,7Mhz (Timon) e várias plataformas da internet, como o Portal Sinal Verde e aplicativos, Sistema Rádios Net e, também, pelo Facebook.  Foi muito bom, CL fez uma retrospectiva de sua vida pública e, obviamente, externou sua avaliação sobre o atual contexto político-eleitoral do Maranhão. 

A opinião de Chico Leitoa tem peso e é respeitada. Trata-se de um dos mais relevantes nomes do cenário político estadual do Maranhão. Um homem que construiu uma vitoriosa carreira política sempre no chamado campo democrático da esquerda. Duas vezes prefeito de Timon, foi ainda deputado federal e estadual, e é pai do atual prefeito timonense, Luciano Leitoa, reeleito em 2016. No início de sua vida pública, CL foi avalizado por ninguém menos que Leonel Brizola. Parceiro de proa de Jackson Lago, teve decisiva e fundamental participação nas eleições de governador que propiciaram a derrocada da oligarquia Sarney. Em Caxias, o líder trabalhista ajudou a costurar a histórica aliança de 14 partidos que resultou na primeira eleição de Humberto Coutinho para prefeito, avalizando o nome do “Grandão” junto aos partidos de esquerda, em 2004.

Para CL, a eleição para governador do Maranhão está praticamente definida, “Flávio Dino (PCdoB) deve ser reeleito já em 1º turno”. Sem tergiversar, ele afirma que Weverton (PDT) e Zé Reinaldo (PSDB) serão os eleitos para o Senado. Diz que Ciro Gomes (PDT) é o mais preparado dos pré-candidatos à Presidência da República. E aposta que o Leste Maranhense ampliará sua influência política pelo conjunto de parlamentares que devem ser eleitos em outubro, citando, textualmente, Bira do Pindaré (PSB) e Rubens Pereira Jr (PCdoB) para a Câmara dos Deputados, e Rafael Leitoa (PDT), Cleide Coutinho (PDT), Zé Gentil (PRB) e Adelmo Soares (PCdoB) para a Assembleia Legislativa. 

Histórias pouco conhecidas da gente de Caxias, mas que têm a ver com a cidade, foram reveladas durante a entrevista. Como, por exemplo, o fato de o saudoso senador caxiense Alexandre Costa ter sido determinante na primeira eleição de Chico Leitoa para prefeito de Timon. Os dois, conforme o revelado, mantiveram uma relação de amizade pautada no respeito mútuo até a morte do senador.

Enfim, foi uma entrevista de alto nível, com o entrevistado mostrando-se leve e descontraído – características de quem está bem resolvido.

  0 Comentários

Foi-se a Copa, que venham as eleições

Por RM

Postado em 07/07/2018 09:53:29



 chora_brasil02

Não deu para o Brasil. E nem foi a pior apresentação da Canarinho na Rússia. Mas, lamentavelmente, não deu. O que muda na vida do povo brasileiro com a eliminação de Tite e seus pupilos? Rigorosamente nada. Tirando, claro, a folga que já estava programada para a tarde da próxima terça-feira (10). Foi-se a Copa do Mundo, que venham as eleições.

Aliás, já é tempo de o brasileiro se atentar para o pleito de outubro vindouro. Tal qual a Copa, as eleições ainda não empolgaram nesse período que as antecedem. Pelo menos não naqueles níveis de eleições passadas. Há exatos 90 dias para a ida às urnas em 1º turno, a maioria dos eleitores não sabe ainda em quem votar para presidente. Não se trata de dúvida entre um e outro nome – o que seria até compreensível e salutar. Simplesmente não existe nome. Isto é grave!

O descrédito geral na política pode justificar uma parte considerável desse torpor coletivo, agravado pela falta de sensibilidade de partidos e políticos que não conseguem fazer uma leitura correta do sentimento popular, daí porque apresentam candidatos com perfis distantes daquilo que clama o imaginário popular. As pesquisas apontam Lula da Silva (PT) como líder, mas a condição jurídica de preso condenado inviabiliza a candidatura. O problema é que, sem ele, ninguém chega a 20% das intenções de voto - e, na história eleitoral brasileira, isso não tem precedentes a tão pouco tempo da eleição. O fato é curioso e preocupante.

  0 Comentários

O velório de Roseana em Caxias

Por RM

Postado em 06/07/2018 10:54:59



 

Roseana em Caxias, outro fiasco da "Caravana do Fracasso"

Roseana Sarney (MDB) sentiu o baque da rejeição em Caxias nesta quinta-feira (05). Sua estada por cá foi um fiasco de dar dó. Nem ela conseguia disfarçar o constrangimento estampado na sua cara. Fez um discurso sorumbático que mais parecia um adeus. E não era para menos, convenhamos, afinal, mesmo num auditório com apenas cerca de 180 lugares – considerado pequeno para evento daquela pretensão –, havia dezenas de cadeiras vazias.

Faltou povo. Lideranças políticas ou comunitárias também não havia. Nenhum comerciante importante da cidade compareceu. E nem líder religioso. Não teve animação nenhuma. Mais triste que velório de pessoa querida. 

No palco, ladeando a pré-candidata do MDB, mais retrato da decadência de Branca e companheiros oligarcas – Lobão, Lobinho e Sarney Filho também estavam lá. A maioria que lá estava, tirando a ex-prefeita Márcia e o rebento Paulo Marinho Jr. ­– ela ficha suja banida da vida pública e ele pré-candidato ad aeternum ­–, só figuras irrelevantes no contexto sociopolítico de Caxias.

Certamente, deva ter passado um filme na cabeça de Roseana Sarney. Branca devia estar se remoendo por dentro e perguntando-se onde foi que errou para merecer dos caxienses recepção tão fria. Deveria ter lembrado de quando ela tomou o antigo PFL de seu então aliado Humberto Coutinho, humilhando-o publicamente, para entregar o partido aos Marinho, que já contavam com outras três siglas controladas pelo sarneyzismo o PMDB, inclusive. Ou dos tempos em que concentrava recursos e ações do Estado para Caxias e região nas mãos do aliado Paulo Maracutaia, um ladrão inveterado que usou o poder advindo do prestígio que gozava junto aos Sarney para se locupletar e perseguir pessoas de bem da cidade.

Enfim, a passagem de Roseana, Lobão e Sarney Filho por Caxias retrata o estágio terminal da oligarquia que dominou o Maranhão por cinco décadas e deixou profundas sequelas socioeconômicas para o povo maranhense. Se for mesmo candidata ao governo, Branca poderá ser submetida a um vexame histórico. Mas isto é assunto para outro dia.

  2 Comentários

Oligarquia parece articular-se para tentar novo golpe no Maranhão

Por RM

Postado em 05/07/2018 09:53:46



 

Governador Jackson Lago, vítima de nebuloso processo de cassação em 2009

Repetindo o modus operandi que resultou num golpe de estado institucionalizado por meio de um impeachment forjado contra a presidente Dilma Rousseff (PT), a oligarquia Sarney já teria dado o start para repetir a artimanha no Maranhão contra o governador Flávio Dino (PCdoB), que caminha célere para uma reeleição tranquila. 

De uns dias para cá, os satélites responsáveis por fazerem reverberar os interesses da oligarquia na blogosfera têm insistido numa tese amalucada e sem pé nem cabeça de que caberia um impeachment contra o mandatário maranhense. Olhando assim, de longe, pode parecer devaneio de doidivanas, porém, quem conhece a maneira como o atraso opera no submundo da política sabe que as movimentações dos oligarcas muito se assemelham àquelas que acabaram por cassar, sem nenhuma base jurídica consistente, o mandato legitimamente outorgado pela vontade popular ao governador Jackson Lago (PDT).

Assim como fizeram com o governador pedetista e com a presidente petista, quando foram-se construindo ambientes favoráveis às cassações por meio de factoides disseminados pela mídia, o mesmo se percebe agora, com infundados pedidos de impeachment contra Flávio Dino reiteradamente viralizados na blogosfera.

Pero que si, pero que non, melhor os comunistas botarem as barbas de molho.

  1 Comentários

Rubens Pereira Jr. honra o Maranhão no Congresso Nacional

Por RM

Postado em 04/07/2018 11:10:01



 Deputado federal Rubens Pereira Jr. (PCdoB), que faz a diferença na Câmara dos Deputados

O noticiário nacional desta quarta-feira (04), das grandes redes de rádio e de televisão, foi pautado, em maior destaque, por duas notícias: a Copa do Mundo e o projeto do deputado Rubens Pereira Jr. (PCdoB) que impede ministro do STF de suspender lei por decisão monocrática – que é quando o magistrado decide sozinho, sem precisar ouvir os demais membros da Corte. A proposta aprovada ontem na CCJ da Câmara e que será apreciada agora pelo Senado expõe o nível de atuação do jovem parlamentar maranhense (conheça mais aqui), uma grata revelação para a política brasileira, que tem se destacado por intervenções de conteúdo, também, no Plenário e pela conduta ética como costuma atuar dentro e fora da ambiência político-partidária. 

A atual legislatura é uma das piores - senão a pior - na história do Congresso Nacional. Mas há exceções. O deputado federal Rubens Pereira Jr. é uma delas. Em primeiro mandato na Câmara dos Deputados - com experiência de dois mandatos na Assembleia Legislativa do Maranhão -, o maranhense é uma grata revelação no ambiente macro político brasileiro.

Para aqueles que costumam generalizar o Congresso por baixo, Rubens Pereira Jr. é um dos bons exemplos que atestam o contrário. O jovem deputado federal tem honrado o voto que recebeu dos maranhenses e, até por isto, merece ter o mandato renovado. O Brasil precisa de mais Rubens Pereira Jr.

  1 Comentários

Francisco Nagib inova e lança o ‘Cartão Antecipação Salarial’ da Prefeitura de Codó

Por RM

Postado em 03/07/2018 09:54:14



 

A prefeitura de Codó criou uma ferramenta para ajudar comerciantes locais a superarem o momento de adversidade que abala o cenário econômico nacional e, ao mesmo tempo, valorizar o servidor público municipal. Na última quinta-feira (28), o prefeito Francisco Nagib (PDT), em concorrida solenidade realizada na Associação Comercial de Codó, apresentou ao empresariado codoense o ‘Cartão Antecipação Salarial’, instrumento que vai possibilitar aos servidores daquele Município receberem, de maneira antecipada, logo no primeiro dia de cada mês em curso, 50% do salário. 

O ‘Cartão Antecipação Salarial’ da Prefeitura de Codó vai garantir crédito instantâneo, durante os 30 dias do mês, para todos os servidores públicos municipais, que poderão fazer compras no comércio local, sem precisarem ser submetidos a burocracia ou qualquer tipo de cadastro de aprovação.

A iniciativa do prefeito Francisco Nagib foi recebida com entusiasmo pelos comerciantes de Codó, que reconheceram o empenho pessoal do jovem gestor municipal na superação da crise econômica e perceberam na medida recém implantada uma forma eficaz de fomentar o comércio local, vez que o credenciamento para operar com o ‘Cartão Antecipação Salarial’, será exclusivo para empresas e lojas genuinamente codoenses, o que, de certa forma, fará com que o dinheiro gerado pelo salário dos servidores circule apenas no comércio de Codó.

Os servidores municipais, por sua vez, também comemoram pois, além de se sentirem valorizados pela administração municipal, passam a contar com a garantia de crédito instantâneo, durante o mês inteiro, para suprirem eventuais emergências de ordem financeira, o que vai ajudá-los, inclusive, no controle e planejamento do orçamento familiar. Enfim, tem-se, em Codó, um exemplo de que é possível, sim, fazer gestão pública inovadora, de conteúdo e alto nível, longe da mesmice.

 

Prefeito de Codó, Francisco Nagib, com o vice-prefeito Ricardo Torres e o 'Cartão Antecipação Salarial'

 

  0 Comentários

Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Charges

Últimos Posts