Abono dos professores de Caxias deve sair dia 31

Por RM

Postado em 22/01/2020 06:58:48



 Resultado de imagem para abono salarial professores

Fonte bem situada no Palácio da Cidade garante que o prefeito de Caxias (MA), Fábio Gentil (PRB), vai pagar o abano dos professores da rede pública municipal de ensino na sexta-feira, próximo dia 31 de janeiro. O valor a ser creditado na conta do servidor docente não foi revelado ao Blog do RM, pois o montante será anunciado pelo próprio mandatário municipal.

O abono salarial proveniente da sobra de recursos do Fundeb tem sido o ponto nevrálgico na relação do Palácio da Cidade com os professores. Vira e mexe alguém lembra que quando estava vereador oposicionista, Fábio Gentil era um crítico contumaz do valor concedido pelo então prefeito Leo Coutinho – R$ 1 mil. Dizia o edil, em 2016, que a Prefeitura de Caxias não poderia conceder abono aos docentes menor que R$ 3 mil – “qualquer coisa abaixo desse valor é uma merreca!”, dizia ele.

O fato é que o Cabeludo parece estar disposto a não cometer os mesmos deslizes que depois justificariam a derrocada eleitoral de seus antecessores – conforme alguns exemplos citados ontem pelo Blog do RM (veja aqui). A mesma fonte disse concordar com os argumentos deste redator, porém ressaltou que o prefeito Fábio Gentil sabe que não pode perder para ele mesmo.

  4 Comentários

Deputada Cleide Coutinho faz aniversário hoje

Por RM

Postado em 21/01/2020 11:56:52



A deputada estadual Dra Cleide Coutinho (PDT) faz aniversário neste 21 de janeiro. O Blog do RM registra com muita alegria a passagem natalina desta grande líder política.

CC é mulher forte e destemida, que enfrenta as adversidades de frente. As vezes sua personalidade pode até assustar pela maneira franca como costuma dizer o que pensa, mas quem a conhece de perto sabe o quão generosa é para com as pessoas.

Este redator deseja, além de um feliz aniversário, vida longa e saudável a esta líder de postura admirável.  

  0 Comentários

Governo prorroga matrículas nas escolas da rede pública estadual

Por RM

Postado em 21/01/2020 11:05:08



Resultado de imagem para governo do maranhão

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informa que o período de matrículas e rematrículas para as escolas da rede pública estadual foi prorrogado até a próxima quarta-feira (22). Para efetivar a matrícula para a 1ª série do Ensino Médio, os estudantes e responsáveis devem comparecer às escolas escolhidas na pré-matrícula on line, e apresentar os documentos previstos no edital.

Os estudantes que não efetivaram a pré-matrícula poderão procurar as escolas para preenchimento das vagas que estejam ociosas, na série pretendida, na quinta-feira (23).

Confira o cronograma com as novas datasAté 22/01 (quarta-feira) – Confirmação de pré-matrícula:

Até 22/01 (quarta-feira) – Rematrícula
23/01(quinta-feira) – Matrícula vagas ociosas

Fonte: Agência de Notícias

  0 Comentários

Fábio Gentil flerta com o perigo ao “peitar” professores e aprovados em concurso da Prefeitura de Caxias

Por RM

Postado em 21/01/2020 07:23:28



O prefeito de Caxias (MA), Fábio Gentil (PRB), parece não se dar conta do erro primário que comete ao “peitar” os professores da rede pública municipal de ensino, que cobram o abono referente à sobra do Fundeb/2019, e os aprovados no último concurso realizado pela Prefeitura. O argumento de que pagar o abono seria ilegal cai por terra quando se vê que o “agrado” está sendo concedido em outros municípios – ontem mesmo o prefeito de São Luís, Edvaldo Holanda Júnior (PDT), anunciou que vai pagar ainda neste mês. Quanto ao chamamento dos aprovados, se resolveu bancar o certame, não convoca-los é no mínimo um contrassenso.

Em Caxias (MA) não faltam exemplos de candidaturas à reeleição dadas como franco favoritas que, após o resultado final da contagem de votos, deram com os burros n’água. Depois que a Inês é morta não faltam observadores a apontar onde o gestor errou.

Foi assim com Márcia Marinho, em 2004, que atrasava salário de modo reiterado – as vezes até quatro meses – e entrou em choque direto com os professores quando mandou “fechar” a escolinha Tia Joana – um caso que restou emblemático para explicar sua derrota.

Com Leo Coutinho, em 2016, pode-se dizer que o fechamento do setor de emergência do Hospital Geral e a implacável fiscalização aos mototaxistas, sob o argumento de regulamentar o serviço na cidade, foram determinantes para a derrota. Tanto MM quanto LC tomaram essas medidas impopulares no ano da eleição. O resultado foi fatal para ambos.

Fábio Gentil parece disposto a levar adiante esses confrontos, na avaliação deste redator desnecessários, o que poderá leva-lo a seguir pelo mesmo caminho de seus antecessores supracitados.

  5 Comentários

Moradores denunciam crime ambiental em Centro Novo

Por RM

Postado em 20/01/2020 17:58:40



 

Júnior Garimpeiro

POR LUIZ PEDRO 

Moradores do povoado Cipoeiro, no município de Centro Novo, a 500 quilômetros de São Luís, suspeitam que uma mineradora que atua na região está utilizando substâncias proibidas no processo de mineração de ouro e outros minerais. A suspeita advém do fato que rios e igarapés da área estão mudando de coloração e está havendo mortandade dos peixes.

Esses fatos vêm acontecendo desde meados de 2019 e as denúncias têm sido feitas pelo Facebook e por grupos de Whatsapp. Os denunciantes apontam que uma substância altamente tóxica, o cianeto, pode estar sendo utilizada pela J&A Mineração Ltda – ME, conhecida pelo seu nome fantasia Mina Nova Mineração, empresa que possui licença ativa para trabalhar no local.

O cianeto, além de contaminar rios e igarapés, pode atingir os lençóis freáticos e envenenar populações humanas e rebanhos. Caso similar aconteceu no Pará há quase três anos e foi divulgado no Bom Dia Brasil, da Rede Globo.

Os moradores pretendem que a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA) e a Prefeitura Municipal de Centro Novo investiguem o caso e tomem as medidas cabíveis para impedir o que se configura como um crime ambiental que pode causar danos de grandes proporções.

A face visível da J&A Mineração – Mina Nova Mineração é o cidadão conhecido na área como Júnior Garimpeiro, que tem desenvolvido intensa atividade de aproximação com a população local, fazendo bingos gratuitos de motos e distribuindo geladeiras a famílias carentes.

Segundo fontes da Prefeitura, Júnior Garimpeiro tem pretensões político-eleitorais e no processo de pré-campanha, vem montando um grupo de lideranças com suposta compra de vereadores e já anunciou que ao completar 37 anos, em julho próximo, vai matar 37 bois, distribuir 37mil latinhas de cerveja e bingar 37 gramas de ouro e um carro zero quilômetro. A Prefeitura de Centro Novo, segundo as mesmas fontes, quer proteger a população e impedir a continuidade do crime ambiental, mas afirma não estar encontrando respaldo do órgão ambiental estadual.

*Jornalista, ex-deputado estadual

  0 Comentários

Uma nova candidatura poderá surgir e tornar renhida e imprevisível a disputa pela Prefeitura de Caxias

Por RM

Postado em 20/01/2020 08:35:04



Imagem relacionada

Não será surpresa para este redator se até o Carnaval – ou mais tardar duas semanas após o Reinado de Momo – algumas peças relevantes no jogo que será jogado nas eleições municipais de 2020 em Caxias (MA), e que até aqui imaginava-se estarem definitivamente posicionadas no tabuleiro eleitoral, sejam mexidas de lugar, dando vida a uma candidatura tão viável quanto competitiva eleitoralmente.

Caso confirmadas essas mexidas no tabuleiro sucessório municipal, a eleição de Caxias ganhará fôlego de enredo renhido e resultado absolutamente imprevisível. 

A despeito do aparente conforto no atual momento de pré-campanha, o prefeito Fábio Gentil (PRB) sabe que não pode dormir em berço esplêndido. Mesmo a falta de movimentação nas hostes oposicionistas é ilusória. Político não dorme no ponto, menos ainda em ano eleitoral. Articulações de peso estão a todo vapor nos bastidores.

Este redator vira e mexe alerta aos atuais inquilinos do Palácio da Cidade para descerem do salto alto e deixarem de entoar a ladainha do “já ganhou”. Eleição nenhuma são favas contadas, menos ainda em Caxias (MA), onde o eleitorado não tem tradição de reeleger seus mandatários municipais – na história do município o único a conseguir tal intento foi o saudoso Humberto Coutinho, a maior liderança política que os caxienses tiveram nas últimas três décadas.

Vale aguardar!

  2 Comentários

SINTRAP e aprovados em concurso unem forças em manifestação na porta da Prefeitura de Caxias marcada para esta segunda (20)

Por RM

Postado em 19/01/2020 08:08:22



 O SINTRAP tem forte poder de mobilização

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais de Caxias (SINTRAP) e os aprovados no último concurso realizado pela Prefeitura firmaram um pacto para promover manifestações conjuntas. O primeiro ato está marcado para acontecer na manhã desta segunda-feira (20), na porta do Palácio da Cidade, na Praça do Pantheon, a partir das 09h. 

Em nota oficial, o SINTRAP afirma que será uma “luta unificada”, faz convocação geral da categoria e anuncia a pauta do ato reivindicatório, concentrada no abono aos professores com a sobra do FUNDEB de 2019; reajuste salarial de acordo com o Plano de Carreira; e a convocação e Posse de todos os concursados do último concurso da Prefeitura.

A temperatura deve subir.

  0 Comentários

Iema tem conquistas internacionais, medalhas e desistência quase zero em 2019

Por RM

Postado em 18/01/2020 08:52:20



Iema acumula conquistas com prêmios internacionais e índices elevados de qualidade (Foto: Divulgação)

O Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) fechou o ano de 2019 com novos marcos no ensino, incluindo prêmios internacionais e índices elevados de qualidade.

A escola oferece, desde 2015, ensino médio em tempo integral com educação profissionalizante. Ou seja, o aluno termina o ensino médio pronto para exercer uma profissão no mercado de trabalho.

“Nosso desafio é garantir que nossos alunos aprendam de fato e possam realizar seus projetos de vida”, diz o reitor Jhonatan Almada.

Já são centenas de medalhas, troféus e prêmio conquistados pelo instituto desde sua inauguração.

Em 2019, a lista foi ampliada. Entre as conquistas internacionais, estão medalhas de prata e bronze na Copa Mundial de Robôs, na Coreia do Sul; medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Matemática sem Fronteiras; terceiro lugar na Scholarship Essay Competition Reach Cambridge; terceiro lugar no Concurso Internacional de Redação de Cartas da União Postal Universal; e validação da Escola de Cinema do Iema pela Cinéfondation do Festival de Cannes, na França.

Dentro do Brasil, podem ser destacados o bicampeonato nacional de Lançamento de Foguetes; medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica; medalha de prata e bronze na Olimpíada Brasileira de Física.

Indicadores

Os números das unidades plenas em 2019 também chamam atenção. A aprovação chegou a 96,5%. Ou seja 96 em cada 100 alunos foram aprovados para o próximo ano ou se formaram.

A frequência foi de 93,5%. A evasão foi de apenas 0,17%. Isso significa que quase não houve desistência de alunos.

“Os indicadores educacionais que obtivemos em 2019 refletem o trabalho da nossa equipe para garantir que os estudantes, de fato, aprendam, frequentem as aulas e tenham gosto por estar nas unidades”, diz o reitor Jhonatan Almada.

Expansão

O Iema vai dar um novo salto em 2020. O número de unidades plenas vai passar de 13 para 17.

Três das novas unidades plenas ficam em São Luís (Bacelar Portela, Rio Anil e Gonçalves Dias). A outra fica na cidade de São Vicente Férrer.

Fonte: SECAP

  0 Comentários

De volta à fragilidade econômica de Caxias

Por RM

Postado em 17/01/2020 07:07:15



Resultado de imagem para caxias-ma

 O Centro de Cultura Acadêmico José Sarney (sede administrativa de algumas secretarias municipais), que no passado sediou o maior parque têxtil do Maranhão  

O medíocre desempenho econômico de Caxias (MA) e sua fraca contribuição para a construção do PIB estadual maranhense dá lastro às mais diversas elucubrações. Teve gente que manifestou surpresa ao saber que, apesar da badalação em torno da história do município, sobretudo nos campos da política e da cultura, Caxias seja tão pobre, economicamente falando.

De fato, mesmo quando o levantamento feito pelo Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC), com base nos dados do PIB 2017, divulgados pelo IBGE, se limita a levantar a realidade da riqueza gerada apenas pelo setor terciário (leiam comércio e serviços), Caxias apresenta um desempenho bisonho – 6º lugar no ranking estadual, com 2,24%; atrás de São Luís (30,97%), Imperatriz (7,21%), Balsas (3,10%), São José de Ribamar (2,72%) e Timon (2,31%).

E quando os números dizem respeito à economia como um todo, Caxias nem aparece. Uma lástima! Os números revelam porque a maioria dos grandes empresários da cidade orbita em torno da Prefeitura, razão pela qual as elites caxienses brigam e se revezam pela permanência no poder.

Entretanto, essa realidade nem sempre foi assim.  Os mais saudosistas dão conta que Caxias já foi o maior parque têxtil do Maranhão; maior produtor de arroz e maior beneficiador de amêndoa de babaçu. Há quem garanta ser verdade que as Indústrias Guadalajara, do Grupo Claudino, e até uma envasadora da Coca-Cola do Piauí deixaram de ser instaladas em Caxias. A política teria sido o entrave da chegada desses investimentos.

FPM

Muita gente não sabe, mas a principal receita de Caxias, o FPM (Fundo de Participação dos Municípios), tem o mesmo montante recebido por Imperatriz (R$ 106 milhões em 2019), apesar de o município da região tocantina ter uma população bem maior (259 mil habitantes imperatrizenses, contra cerca de 168 mil caxienses).

  0 Comentários

Jhonatan Almada fala com exclusividade ao Blog do RM

Por RM

Postado em 16/01/2020 07:37:58



 Jhonatan Almada

Nascido em Caxias (MA), Jhonatan Almada é considerado figura destacada do Governo Flávio Dino, sobretudo naquilo que diz respeito à Educação, tendo sido secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação no primeiro governo do comunista – atualmente é reitor do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão-IEMA, onde faz um trabalho reconhecido, inclusive, por organismos internacionais. Servidor público federal de carreira (UFMA), muito jovem ainda Jhonatan Almada fez parte do governo Jackson Lago. De lá para cá construiu uma reputação de gestor competente e dono de uma sólida formação acadêmica. Graduado em História pela Universidade Estadual do Maranhão-Uema, é Especialista em Planejamento e Gestão de Políticas Educativas pelo Instituto Internacional de Planejamento da Educação da UNESCO e Mestre em Educação pela UFMA.

Jhonatan Almada é Membro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Associação Nacional de Política e Administração da Educação (Anpae), Instituto Histórico e Geográfico Maranhense (IHGM), Instituto Histórico e Geográfico de Caxias (IHGC), Sócio fundador do Instituto Jackson Lago (IJL), e membro do Grupo de Estudos e Pesquisas de Políticas Educacionais do Programa de Pós-graduação em Educação da UFMA. Ele já publicou 20 livros, entre eles "Planejamento e desenvolvimento do Maranhão", "Maranhão: enigmas, desafios e urgências", "Ignacio Rangel, decifrador do Brasil", "Alternância do poder político no Maranhão" e "Governo Jackson: o legado".

Recebeu inúmeras distinções e premiações, tais como: Indicação para o Prêmio Darcy Ribeiro da Câmara dos Deputados; Doutor Honoris Causa em Ciências da Educação pela Emill Brunner University; Parceiro da Socioeducação (FUNAC-MA); Diploma de Mérito em Direitos Humanos (ESA/OAB-MA); Diploma de Mérito pelo Centenário da Faculdade de Direito do Maranhão; Medalha Dica Ferreira de Parceiro da Juventude (Seejuv); Palmas Universitárias (UFMA); Homenagem da Sociedade de Astronomia do Maranhão (SAMA) e Cidadão Municipal de Imperatriz, dentre outros.

O Blog do RM conversou com o reitor do IEMA sobre vários assuntos, incluindo educação e política. Veja a seguir a entrevista exclusiva:

1 - Fale-nos um pouco a respeito de sua pessoa, de como teve início a sua história como homem público.

Primeiro te agradecer por essa oportunidade, penso que minha vida pública começa no movimento da juventude partidária e da Universidade, onde presidi o Centro Acadêmico. Sempre me mantive interessado e participante dos temas de interesse público e da política, seja apresentando minha opinião, intervindo nos debates ou exercendo funções públicas. O início mesmo se deu quando aos 16 anos elaborei planos de desenvolvimento de Caxias e do Maranhão, ambos publicados no livro “Planejamento e desenvolvimento do Maranhão” de minha autoria. O interesse pela vida pública começou aí, o desejo de ajudar na transformação da nossa realidade.  

2 - Você estudou em escolas e universidade pública e de lá para cá ocupou diversos cargos públicos, inclusive no primeiro escalão do governo do Estado. Como você define essa trajetória?

Acredito que foi a combinação de preparo e boa sorte, encontrar pessoas fundamentais que souberam valorizar e apostar na juventude. Você sabe que no Maranhão quem não pertence às famílias tradicionais da política tem mais dificuldade para acessar o espaço público, precisamos comer muito mais sal, trabalhar ferozmente e provar nosso valor todo o tempo. Isso foi possível comigo em dois governos de ruptura com o status quo local, no Governo Jackson Lago e no atual Governo Flávio Dino, seria improvável na configuração política dominante até então. 

3 – O Brasil vive tempos institucionais nebulosos, como é fazer parte de um governo estadual que tem entre as suas principais prioridades a educação?

O Brasil experimenta pela primeira vez desde a redemocratização governo de extrema direita e ultraliberal, algo novo que nos deixa perplexos, mas não paralisados. Existe outro caminho além da polarização política e nos cabe lutar de onde estamos para que ele possa ser trilhado. Ao participar deste Governo tenho o sentimento de que a luta de uma vida está sendo transformada em ações concretas agora, perto das necessidades reais dos que mais precisam.

4 – Quais os principais avanços do Maranhão no setor?

A educação pública estadual tem apresentado uma trajetória de melhoria da qualidade e inovações institucionais. O IDEB tem evoluído positivamente, escolas precárias são substituídas por escolas dignas, ocorre a expansão inédita da rede de escolas de tempo integral até então ausentes das políticas educacionais e o professor recebe o maior salário do Brasil para o regime de 40 horas semanais. A grande novidade foi a criação do IEMA, o Governo do Estado passou a atuar na educação profissional, científica e tecnológica com bastante ousadia.

3 - Qual avaliação você faz hoje da atuação do IEMA no cenário educacional maranhense? O IEMA vem cumprindo o objetivo a que se propôs?

O IEMA era uma folha de papel no diário oficial em 2015, hoje é uma instituição com 34 escolas técnicas e a única escola pública do Maranhão associada à UNESCO, são 567 no Brasil. Nos tornamos referência em olimpíadas científicas, robótica educacional, foguetes e inovação pedagógica, o IEMA é reconhecido no país e no exterior como escola de qualidade. O Governador Flávio Dino ao me convidar para o IEMA pediu para fazer a escola dos sonhos, nisso estou empenhado de forma visceral. Avançamos muito, mas sempre podemos melhorar.

4 - Como você observa o papel do IEMA na profissionalização dos jovens maranhenses e que medidas estão sendo adotadas para que essas pessoas sejam absorvidas pelo mercado de trabalho?

Hoje, oferecemos 30 cursos técnicos de nível médio e 200 cursos profissionalizantes, qualificamos mais de 35 mil maranhenses entre 2015 e 2019, nos 100 municípios em que o IEMA esteve ou está presente. O IEMA se tornou oportunidade real para jovens e adultos obterem qualificação profissional. Temos apoiado a inserção no mundo do trabalho via Plataforma ContratAÊ, onde estão todas as pessoas que qualificamos aptas à contratação, criamos o Programa de Vivência Profissional, Estágio e TCC, mantemos convênios e parcerias com 207 empresas atualmente.

5 - Qual é o principal desafio para o IEMA neste ano?

Por um lado, continuar a expansão institucional com novas Unidades, sem perder a qualidade do ensino, e por outro, conquistar parâmetro internacional de avaliação do desempenho dos nossos estudantes. Nossa equipe está dedicada a superar esses desafios.

6 - Há algumas demandas da sociedade para abertura de novos cursos? Quais são os critérios para a definição desta oferta?

Cada vez mais somos procurados por empresas, prefeituras e comunidades, a demanda por educação profissional é bastante reprimida, para que tenhas uma ideia, somente 11% do total de matrículas do ensino médio é de educação profissional, portanto, existe enorme espaço para crescermos. Nossos cursos são definidos em três etapas, estudo técnico da economia local, análise do mercado de trabalho e audiência pública para escolha dos cursos.

7 - O quantitativo de vagas estimadas para a composição do quadro de servidores é suficiente para atender aos novos cursos previstos no projeto de expansão?

Temos hoje mais de 500 servidores entre professores efetivos e bolsistas. Os processos seletivos de professores ocorrem com antecedência, atualmente dispomos de banco de credenciamento com mais de 15 mil profissionais de todo o Brasil, aptos a ministrarem aulas em nossos cursos técnicos. Desse modo, a criação de cursos é precedida pelo planejamento de pessoal docente e tem funcionado bem.

8 - Como situar o IEMA frente às instituições de ensino no Maranhão?

A UEMA possui 22 centros, a UFMA possui 9 campi, o IFMA tem 32 campi. O IEMA chega a 34 unidades no Maranhão em 2020, com 5 anos de existência institucional, o que expressa o quanto avançamos rápido. A meta é chegarmos a 100 unidades e estarmos presentes em cada uma das regiões do estado. O IEMA tem por foco a educação profissional, científica e tecnológica de nível médio e a qualificação profissional para jovens e adultos, isso nos posiciona de forma complementar às instituições públicas existentes.

9 - O IEMA já tem algum reconhecimento internacional? E quais as premiações conquistadas pelos estudantes?

Além de Escola Associada à Unesco, nossos projetos foram reconhecidos pela Plataforma da ONU de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, no Fórum de Ciências da América Latina, Mapa de Práticas Socioemocionais da UNESCO e pela Rede Mundial de Fablabs. Em 2019, nossos estudantes conquistaram 1.730 medalhas de ouro, prata e bronze em olimpíadas científicas e esportivas, a mais expressiva delas foi a Copa Mundial de Robótica na Coréia, éramos a única equipe da América do Sul.

10 - Como você acha que será o futuro da educação?

Apesar da prevalência cada vez mais intensiva da tecnologia nos processos educativos, não consigo imaginar futuro em que o professor e a escola sejam dispensáveis. Precisamos compreender que a tecnologia deve estar à serviço das pessoas no espírito das leis da robótica de Isaac Asimov. O fato concreto é que o Brasil não conseguiu fazer o dever de casa em relação às agendas educativas do século XX. A primeira década do século XXI nos legou avanços importantes, porém, somente 64 de cada 100 estudantes brasileiros conseguem concluir a educação básica, 90,9% sem saber matemática e 70,9% sem saber português. 

11 - Seu cargo exige atuação política e diálogo com políticos. Na sua trajetória há envolvimento com o movimento estudantil, você já foi filiado a algum partido? Tem pretensões de exercer algum cargo público eletivo?

Estou filiado ao Partido Socialista Brasileiro-PSB e à disposição como quadro partidário para quaisquer desafios políticos que sejam propostos, penso ser o caminho natural a seguir. Não é minha prioridade no momento, estou à serviço do projeto do IEMA no Governo. Você sabe que a renovação política não terá sustentabilidade se ocorrer nos mesmos parâmetros e práticas do passado. Acredito que mais do que representar o novo, represento outra geração, antenada às mudanças sociais do tempo presente, focada em atender de fato os interesses populares, com vontade de contribuir mais.

  2 Comentários

Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Últimos Posts