Todos estão de olho no espólio de Lula

Por admin

Postado em 10/01/2018 09:28:56



  0 Comentários

O que será de Caxias sem o seu político mais influente das últimas décadas?

Por admin

Postado em 09/01/2018 10:20:09



 

A missa de 7º Dia de falecimento do deputado Humberto Coutinho foi um ato grandioso. Ao lado dos demais atos desencadeados tão logo a morte dele foi comunicada, ainda na noite do 1º dia de 2018, entra para a História das grandes despedidas do povo maranhense a um líder político. Caxias jamais viu tamanha demonstração de respeito e apreço por um homem público - sinal do reconhecimento pelo trabalho dele em favor do povo caxiense e do exemplo ético que Doutor Humberto deixa como legado maior. 

O gigantesco santuário de São Francisco ficou pequeno para tanta gente. Gente simples, do povo, e autoridades políticas, militares, eclesiásticas... se acotovelavam dentro e fora do templo católico para manifestar respeito à memória de Doutor Humberto e conforto à família Barroso Coutinho. Verdadeira procissão de carros, motos, ônibus e bicicletas foi o que se viu ao longo do trajeto da rodovia MA 127 que leva Caxias àquele local religioso, já em terras do vizinho município de São João do Sóter. E foi uma missa carregada de emoção. Muita gente não conteve o choro. Certamente um ato histórico que ficará para sempre na memória de todos que lá estiveram.

Uma insistente interrogação, entretanto, pairava no ar: E agora, o que será de Caxias sem o seu político mais influente das últimas décadas? Pode parecer prematuro e impertinente falar em futuro político nesse instante em que a dor da perda do companheiro lhe dilacera o coração, mas a ex-deputada Cleide Coutinho sabe que o legado deixado pelo marido precisa ser levado adiante. Doutora Cleide é uma guerreira e tem consciência de que, doravante, será ela a grande timoneira do grupo fiel e coeso que estará ao lado dela, para o que der e vier, com o nobre objetivo de continuar a obra iniciada por Doutor Humberto.

  0 Comentários

O herói de todos nós

Por admin

Postado em 03/01/2018 10:15:16



 

Não tem sido nada fácil para nós da família Sinal Verde. A dor é terrível, sufoca o peito e transfigura a face de cada colega. Perdemos nossa referência maior, o nosso porto seguro e fonte de inspiração. Humberto Coutinho era mais que um patrão justo e respeitador. Era um amigo; um irmão; um paizão - tudo numa só figura e de forma muito intensa e verdadeira. A morte dele abre um vazio enorme em nossos corações. E não somente entre nós que trabalhávamos diretamente com ele. Caxias por inteira mergulha num oceano de comoção. Uma densa nuvem de tristeza se abate sobre toda a cidade e região. 

Uma tristeza que retrata bem a dimensão da liderança do deputado Humberto Coutinho, que há quatro anos lutava contra um câncer no intestino. Sempre com dignidade, jamais permitiu que se tentassem omitir o grave problema de saúde que o acometia. Pelo contrário, fazia questão de compartilhar com seus milhares de amigos/eleitores cada fase da árdua batalha que diuturnamente travava contra a doença. O “Grandão” - como era carinhosamente chamado - lutou bravamente com todas as forças. E resistiu até além daquilo que a medicina esperava.

Humberto Coutinho deixa um legado que, certamente, influenciará gerações futuras. Um homem digno, leal, respeitador... Que esteve muito além do seu tempo. Um político diferenciado, cumpridor da palavra empenhada. Mesmo os adversários reconhecem suas qualidades e o respeitam por suas virtudes, pelo seu caráter.

O momento é de despedida, mas, também, de agradecimento a Deus, pelo privilégio de poder conhecer e conviver de perto com um ser tão iluminado e inspirador.

Vá em paz, Grandão, você é o herói de todos nós! 

  0 Comentários

A desigualdade é um poderoso combustível da violência

Por admin

Postado em 29/12/2017 10:34:11



  0 Comentários

Parece que o prefeito "Cabeludo" perdeu a noção do perigo

Por admin

Postado em 28/12/2017 10:26:50



 

Repare bem nessa história que veio à tona na edição do Jornal Pequeno desta quarta-feira (27), quando o jornalista Jotônio Viana, da coluna ‘Caxias em Off’, revela que o senador Roberto Rocha - aliado fidalgal do Conde Michel Drácula Temer - teria conseguido uma verba para recuperação de estradas vicinais do município de Caxias.

Pois bem, de acordo com a narrativa de Jotônio, o prefeito Fábio Gentil teria deixado essa grana aos cuidados do vice-prefeito Paulo Marinho Jr., mas o pai dele, um ex-prefeito de Caxias e deputado federal cassado por corrupção, é quem de fato teria o controle da bufunfa. O histórico do cara dispensa comentário. Tudo que ele se mete vira maracutaia. É corajoso, o “Cabeludo”, deixar uma figura com uma folha corrida dessa tomar conta de R$ 6 milhões!

As principais estradas vicinais que cortam Caxias estão mesmo sendo recuperadas - mas, por obra do governador Flávio Dino - a TV Sinal Verde mostrou várias frentes de homens e máquinas, a serviço do Governo do Estado, recuperando estradas na zona rural. O governo Flávio Dino, aliás, promove, neste momento, o maior programa de recuperação de vicinais na história do Maranhão.

Parece que o prefeito Fábio Gentil perdeu a noção do perigo. Esses R$ 6 milhões, se deixados ao bel-prazer do Maracutaia, poderão virar pó. Que o digam os pais de família que paralisaram a obra de construção da creche da Vila Paraíso por falta de pagamento. E vale o alerta: O cara arrebentou com a elegibilidade da própria mulher – a ex-prefeita Márcia Marinho –, que, tal qual o indigesto, virou ficha-suja e hoje não pode mais se candidatar nem a presidente de mesa de bar.

Abra o olho, “Cabeludo”!

  0 Comentários

Em Caxias obras importantes estão paralisadas por falta de pagamento

Por admin

Postado em 27/12/2017 11:14:29



 

É de domínio público que obras importantes para a população de Caxias estão paralisadas por falta de pagamento da Prefeitura. O pessoal contratado para trabalhar na reforma do Centro da Juventude do Bairro Volta Redonda e na construção de uma creche no Residencial Vila Paraíso, por exemplo, parou a obra porque não vê a cor do faz me rir há 4 meses. Uma maldade dos gestores municipais de Caxias com dezenas de pais de famílias - que passaram o natal na maior pindaíba - e descaso com a população que fica a ver navios, pois tanto o centro da juventude como a creche são vitais para a qualidade de vida dos moradores daqueles bairros e adjacências. 

Não é de agora que o governo Fábio Gentil deixa de honrar pagamentos de trabalhadores por serviços prestados. Durante praticamente todo o decorrer do ano, não faltaram denúncias e reclamações de pais alertando para a precariedade do transporte escolar - para muitas escolas, sobretudo na zona rural, o serviço de transporte escolar não teve regularidade a maior parte do ano letivo, fato que prejudicou o desempenho escolar de muitas crianças. Sempre que questionados pelos pais de alunos sobre o porquê da irregularidade no serviço, os motoristas dos ônibus contratados para o transporte escolar foram taxativos: Não estavam recebendo o dinheiro da prefeitura de Caxias.

É lamentável que uma cidade do porte de Caxias volte a viver essa prática nociva do não-pagamento - ou atrasos - de servidores contratados e fornecedores de serviços. Pensava-se que essa prática estivesse sepultada. Durante 12 anos ininterruptos não se ouviu em Caxias qualquer murmúrio de falta de pagamento. Infelizmente, hoje, vira e mexe, pais de família buscam a televisão para denunciar a falta de pagamento. Um descaso injustificável, sobretudo num municípios com os cofres abarrotados de dinheiro.

  0 Comentários

O ano legislativo na Câmara Municipal de Caxias

Por admin

Postado em 22/12/2017 09:58:12



 

A Câmara Municipal de Caxias já entrou de recesso. A derradeira sessão ordinária do ano foi realizada segunda-feira (18). 2017 foi um ano legislativo de baixíssima produtividade - quase zero. A maior parte do tempo, a vereança preencheu enxugando gelo. Não há - dentre a produção legislativa da atual legislatura municipal - uma única lei apresentada por quaisquer dos atuais vereadores que mereça destaque. Há um vazio. Uma enorme carência de proposição.

Mas, como tudo na vida, nem tudo foi perdido. Destaque para os vereadores do bloco de oposição. Tiveram atuação digna. Veementes na cobrança ao chefe do Executivo e ao secretariado, em momento algum jamais extrapolaram qualquer limite ético. Visitaram hospitais, postos de saúde, escolas... Sempre para verificar in loco os reclames da população. Cumpriram o papel que se espera da oposição - fizeram cobranças efusivas ao prefeito, porém sempre com urbanidade, respeitando os ditames da democracia. Jogaram limpo!

Outro ponto positivo que se pode destacar nesse primeiro ano da atual legislatura foi a postura do presidente da Câmara Municipal, vereador Catulé. Até por ser o decano da Casa e profundo conhecedor do Regimento Interno, já se esperava de antemão que Catulé exerceria o controle do parlamento de Caxias sem sobressaltos. E foi isto o que se viu durante todo este ano, um presidente sereno, conciliador e maduro, que soube impor sua autoridade sem diminuir a dos demais colegas. Nem de longe Catulé lembrou aquele dos rompantes intempestivos que lhe pareciam tão peculiares. Parece ter, finalmente, alcançado a chamada maturidade política, o que, convenhamos, é bom, para ele e para a política local.

  0 Comentários

O velho PMDB, agora sem o "P"

Por admin

Postado em 21/12/2017 09:53:54



 

O PMDB não é mais PMDB. Agora é MDB. O que muda no partido? Rigorosamente nada! O velho PMDB de guerra vai continuar sendo o mesmo de sempre. Independentemente de quem quer que venha ser o próximo presidente da República, O PMDB continuará lá, onde sempre esteve, no núcleo central do poder. Lula da Silva? Jair Bolsonaro? Ciro Gomes? Marina Silva? Zé da Esquina?... Tanto faz. O PMDB continuará lá - agora como MDB. Mas continuará. Influenciando, como sempre influenciou. Tiraram o “P”, mas o restante continua lá... Inclusive, os velhos caciques de sempre: Zé Sarney, Jader Barbalho, Renan Calheiros, Romero Jucá, Geddel Vieira Lima, Michel Temer... e tantos outros que representam o que de mais arcaico existe na política nacional. 

Profundamente desgastado, o partido tenta agora dar um up grade na própria imagem. A convenção nacional desta terça-feira era para anunciar que o PMDB mudou. Até um pai de santo foi contratado para dar um “passe” no presidente Temer. O objetivo do encontro era anunciar a grande mudança: que o PMDB não é mais o PMDB. Agora é MDB. Era para ter sido uma festa. Mas, sabe a Lei de Murph – que diz que se algo pode dar errado, dará? Pois é... deu tudo errado! O tal pai de santo atraiu para si todos os holofotes quando disse ter sido chamado para “rebater” uma macumba que fizeram para o Michel Temer. Convidar o macumbeiro foi ideia de jerico.

Mas, afinal, que mudança é essa no MDB? Só porque tirou o “P”? Ora, na essência, o partido não mudou nadinha. Continua o mesmo de sempre: fisiológico, oportunista, cheio de vícios e de caciques. Marcado por ter sido protagonista de alguns dos lances mais tenebrosos que se tem registro na República.

  0 Comentários

Erros do passado devem ser lembrados para que não se repitam

Por admin

Postado em 20/12/2017 10:42:26



  0 Comentários

Lula e PT discutem alianças com "golpistas" para 2018, para desespero de petistas ingênuos

Por admin

Postado em 19/12/2017 09:46:11



 

Lula e os caciques do PMDB estariam alinhavando alianças em alguns estados - inclusive, aqui, no maranhão - o senador Lobão até já teria dito que “quer ser o senador do Lula no Maranhão”. Petistas românticos - que são também os mais ingênuos - se arrepiam toda vez que alguém ousa supor tal possibilidade. “Você tá é louco, o Lula e o PT não vão se aliar a esses golpistas!”

É difícil para o PT fazer cálculos eleitorais para o futuro considerando a necessidade de contabilizar discurso com ação. Em outras palavras, o tamanho das manifestações que aconteciam no período final de Dilma Rousseff na presidência da República, naquela pressão popular de 2015 e 2016 nas ruas que levou ao impeachment, reduz bastante as chances de vitória se o partido excluir de qualquer aliança para 2018, todo mundo que de alguma forma se envolveu com o processo que levou ao afastamento da petista. O que o PT precisa discutir de fato, considerando o que poderia, ou deveria, ter aprendido com os escândalos do mensalão e da Petrobras, é se vale a pena uma vitória eleitoral a qualquer custo. As redes sociais frequentadas pelos simpatizantes do partido e pelos entusiastas em geral da ideia de candidatura presidencial de Lula da Silva no próximo ano - caso as condições jurídicas permitam - indicam que não há disposição da militância de continuar pagando as consequências políticas de posturas adotadas sob o argumento raso e isolado do pragmatismo.

O discurso duro que definiu como "golpista" todo aquele que se aliou à luta para expulsar Dilma do Palácio do Planalto pede, agora, um comportamento coerente de PT e aliados. Aqui, no Maranhão, uma reaproximação com o PMDB de Sarney é especulada para atender, sobretudo, os interesses eleitorais da velha oligarquia, sem levar em conta que senadores e deputados sarneysistas atuaram aberta e decisivamente para consumar o afastamento da petista do cargo. Não é segredo que o próprio José Sarney foi um importante articulador do tal “golpe”.

  0 Comentários

Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Charges

Últimos Posts