CPI com cara de viés político

Por admin

Postado em 21/06/2017 16:55:04



  0 Comentários

Poeta Salgado Maranhão visita local onde nasceu e viveu até os 15 anos de idade

Por admin

Postado em 21/06/2017 16:50:19



  0 Comentários

Deixar as pessoas pensarem que as águas do Ponte estão próprias para o banho é um erro que pode custar caro à saúde de muita gente

Por admin

Postado em 20/06/2017 08:52:58



 

 

Fazer estardalhaço por conta de uma simples limpeza na Piscina do Ponte foi um erro da prefeitura que pode custar caro à saúde de muita gente. Crianças passaram a banhar naquele local, crentes que a água foi tratada e ficou própria para o banho. É bem verdade que a prefeitura em momento algum disse que tratou os esgotos diuturnamente despejados no riacho. O problema é que, ao fazer estardalhaço midiático numa ação simples de limpeza - como se fosse algo inédito - levou muita gente a imaginar que houve a recuperação plena da qualidade da água corrente daquele riacho. Desde então, é comum a presença de crianças banhando naquelas águas - uma exposição desnecessária e perigosa que pode levar a doenças ou quiçá à morte.

 

Pior que, mesmo sabendo que o tal ato promovido em torno da piscina confundiu as pessoas acerca da real condição de salubridade do riacho do ponte - sobretudo aquelas de menor discernimento - a prefeitura não se deu ao trabalho de informar à população que aquelas águas continuam impróprias para o banho. Os níveis de coliformes fecais naquele riacho não devem ser subestimados. A quantidade de esgotos residenciais que descarregam mijo e fezes no leito é algo absurdo.

 

 

Agora, a prefeitura faz o mesmo no Balneário Veneza. Coloca placas avisando que o lago – que diferente da Piscina do Ponte, é próprio para o banho - passará por “limpeza e manutenção”. Nada contra limpar e manter um lago que é importante para o turismo da cidade. Muito pelo contrário. O que não pega bem é querer fazer disso um ato inédito, o que não é verdade. Assim como a limpeza da Piscina do Ponte também não foi coisa inventada pelo governo Fábio Gentil, o lago da Veneza sempre teve serviços de limpeza. Não há novidade alguma, a diferença é que agora, talvez por não ter o que mostrar, o governo tenta fazer passar a ideia de inovação. É mais conversa fiada, só isso.

  0 Comentários

Toda suspeita de qualquer forma de violência a idosos deve ser denunciada

Por admin

Postado em 19/06/2017 09:05:32



  0 Comentários

Morte de adolescente durante parto na Carmosina deveria servir também de alerta contra gravidez precoce em Caxias

Por admin

Postado em 16/06/2017 08:58:42



 

 

Além de expor os graves problemas da Maternidade Carmosina Coutinho - que não são poucos, diga-se de passagem -, a morte da menina Domingas Monteiro dos Santos deveria servir para abrir um debate mais amplo, voltado às questões da juventude e das famílias. Domingas virou notícia depois de morrer durante um parto na maternidade de Caxias. Era adolescente, tinha só 14 anos. O bebê, do sexo feminino, também morreu. O caso abalou todo mundo e deixou os familiares da jovem inconformados. Para a família de Domingas, a morte dela poderia ter sido evitada.

 

É óbvio que o caso precisa ser apurado. A família da menina tem o direito de pelo menos saber o que de fato aconteceu. Tudo precisa ser devidamente esclarecido a fim de se tranquilizar a população de Caxias, sobretudo as mulheres grávidas - jovens ou não - que em breve estarão na condição de parturientes da maternidade. Mas não se deve fugir a um ponto que, tal qual a morte da jovem, precisa ser levado em conta: a gravidez precoce entre adolescentes. Os índices são assustadores. Infelizmente, de tão rotineiro, o problema está virando banalidade.

 

O problema é crescente, e não é só em Caxias. A cada ano cerca de 14 milhões de partos no mundo envolvem mães adolescentes. De acordo com a ONU, desse total, 1,25 milhão ocorrem em países do Cone Sul. Só o Brasil tem 21 mil jovens, com menos de 15 anos de idade, grávidas. A gravidez precoce multiplica os riscos de doença e de mortalidade, tanto da mãe como do bebê, e tem impactos negativos na vida das adolescentes, na maioria das vezes obrigadas a trocar a escola por um emprego, o que agrava a situação de pobreza em que essas meninas vivem. Que a morte de Domingas Monteiro dos Santos sirva para que as autoridades locais e a sociedade civil organizada reflitam sobre esta questão cada vez mais presente no cotidiano da nossa cidade.

  0 Comentários

A hipocrisia se revela no silêncio ensurdecedor que paira sobre a Carmosina

Por admin

Postado em 15/06/2017 09:48:16



 

 

Domingas Monteiro dos Santos tinha só 14 anos quando morreu, vítima de complicações de uma gestação precoce. Ela daria à luz ao primeiro filho. O bebê também morreu. Os médicos dizem que o feto já estava morto quando a menina chegou à Maternidade Carmosina Coutinho. A família contesta a versão. Diz que a morte de Domingas poderia ter sido evitada.

 

De acordo com a família, Domingas Monteiro dos Santos morreu por volta das 10h, mas os familiares somente foram informados depois das 13h. E o corpo só foi liberado perto das 19h. Parentes acreditam que a demora em liberar o corpo da jovem seria parte de uma estratégia para camuflar o ocorrido. Será? Quero crer que não. Outras vozes afirmam que isto estaria acontecendo reiteradamente. Será? Quero crer que não.

 

Domingas é de família humilde. O corpo foi enterrado num povoado da zonza rural. Se não fosse a tragédia que se abateu sobre ela, muito provavelmente, Domingas teria passado pela vida sem ser notícia. A morte da jovem expõe a realidade perversa na maternidade de Caxias, que já foi chamada de “maternidade da morte”, mas que, em 2016, após intenso trabalho de autocorreção, elogiado até pelo Ministério da Saúde, entrou nos trilhos e teve o índice de mortalidade materno-infantil recolocado dentro daquilo que preconiza a Organização Mundial da Saúde. Este ano a situação se agravou e parece ter degringolado de vez. Nunca morreu tanta gente como agora. A diferença é que, hoje, não se ouve mais barulho de “revoltosos e indignados”. Não se vê mais cruzes e velas acesas postas nas portas das igrejas da cidade. A hipocrisia se revela no silêncio ensurdecedor que paira sobre o agravamento da mortalidade na Carmosina.

  0 Comentários

Riacho do Ponte precisa de ações efetivas e não de conversa fiada

Por admin

Postado em 14/06/2017 09:45:39



  0 Comentários

Videomonitoramento de Caxias é vítima do descaso

Por admin

Postado em 12/06/2017 08:58:32



  0 Comentários

Os políticos de Caxias e as redes sociais

Por admin

Postado em 09/06/2017 08:58:19



  0 Comentários

Temer caminha para um fim melancólico

Por admin

Postado em 08/06/2017 09:26:51



  0 Comentários

Busca no blog

Sobre Ricardo Marques

Advogado (OAB/MA 9572)
Jornalista (904/MA - MTE)
Radialista (3586/CE - MTE).

Charges

Últimos Posts